Sarah Jane Weaver: Mensagens de líderes da Igreja nos ajudam a refletir sobre a pandemia de COVID-19 — e a seguir em frente

Em sua primeira comunicação oficial de 2022, Presidente Russell M. Nelson deu um conselho importante: “Seja mais decidido em ser gentil com os outros e fortalecer seu próprio alicerce espiritual.”

A mensagem veio num momento em que o mundo luta contra a pandemia há dois anos; o primeiro caso de COVID-19 foi identificado em dezembro de 2019.

Em mensagens postadas no TwitterFacebook e Instagram [em inglês] em 1º de janeiro de 2022, Presidente Nelson fez algumas sugestões para aqueles que reservam um tempo para escrever resoluções para o próximo ano.

“Primeiro”, escreveu ele no Facebook e Instagram, ““decidam fortalecer seu alicerce espiritual. Isso pode envolver estabelecer um horário e um lugar específicos para estudar as escrituras, orar com mais frequência, tornar a adoração no templo uma prioridade maior e permitir que Deus prevaleça em todos os aspectos de sua vida.

“Segundo, decidam ser bondosos com os outros. Quando o Salvador Jesus Cristo visitou as Américas, conforme registrado no Livro de Mórmon, uma das primeiras coisas que Ele ensinou foi a necessidade de eliminar contendas em nossa vida. Portanto, sejam compassivos, compreensivos, sejam tardios em julgar e rápidos em perdoar.

“Terceiro, decidam ser determinados. O Senhor ama o esforço. O Senhor ama a consistência. O Senhor ama a constância. E embora certamente falhemos de tempos em tempos, nossos esforços persistentes para ouvi-Lo e seguir a inspiração que Ele nos dá nos ajudarão a ‘fortalecer-nos no Espírito’ (Mosias 18:26).”

A mensagem oferece direcionamento e esperança em um momento em que muitos se sentem sobrecarregados e cansados. Uma lembrança do otimismo de Presidente Nelson, a mensagem é um guia para o futuro. Também nos permite aproveitar tudo o que aprendemos durante a pandemia.

A irmã Patricia Holland, à esquerda, e Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, posam para uma foto após a conferência da estaca Enterprise Utah em Enterprise, Utah, no domingo, dia 17 de outubro de 2021.
A irmã Patricia Holland, à esquerda, e Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, posam para uma foto após a conferência da estaca Enterprise Utah em Enterprise, Utah, no domingo, dia 17 de outubro de 2021. Crédito: Nick Adams, para o Deseret News

O Church News fez uma retrospectiva da pandemia e como ela impactou a Igreja. No processo, eu me perguntei como isso me impactou. Aprendi as lições que o Senhor queria que eu aprendesse durante esse período único da história?

Como a pandemia estava se intensificando em março e abril de 2020, quando muitos de nós fizemos a transição para a escola on-line, o trabalho e as reuniões da Igreja, Élder Jeffrey R. Holland nos lembrou que este foi um raro momento de solidão imposta, quando “não temos um muitas curiosidades ou ocupações superficiais nos distraindo, para considerarmos as coisas da vida que são verdadeiramente importantes. Tempos como este nos convidam a olhar para a própria alma e ver se gostamos do que vemos lá.” … [COVID-19 trouxe uma] “espécie de Dia do Senhor obrigatório — um momento em que nos afastamos de nossa rotina normal, da vida como de costume, e consideramos nossa dependência de Deus e as bênçãos recebidas de Sua mão que muitas vezes não valorizamos.”

Élder David A. Bednar concordou com a resolução de Élder Holland. “Com a perspectiva eterna que o evangelho restaurado oferece e a graça que advém da Expiação do Salvador, podemos aprender lições com as adversidades da mortalidade que nos preparam para as bênçãos da eternidade. Temos que orar. Temos que buscar. Temos que perguntar. Precisamos ter olhos para ver e ouvidos para ouvir. Mas podemos ser abençoados de maneiras notáveis para aprender lições que nos abençoarão agora e para sempre.”

O mundo todo está nas mãos do Senhor, acrescentou Élder Neil L. Andersen. “Jamais teremos um momento durante o qual o Senhor não nos ensinará nada se formos justos. Esta vida é um momento para se tornar, não apenas para vivenciar. É um momento de ser ensinado do alto.”

Talvez Élder Gerrit W. Gong tenha resumido melhor nossa situação como santos dos últimos dias. “Nós não vamos voltar para algo antigo”, disse ele. “Vamos prosseguir para algo novo. Estamos aprendendo coisas que nos ajudarão a reter o melhor daquilo que fazemos pessoalmente, enquanto aprendemos a usar a tecnologia e outros meios de maneiras eficazes e apropriadas.”

Assim como Presidente Nelson, Élder D. Todd Christofferson focou sua mensagem em sermos gentis, pedindo que pensássemos sobre pertencimento e o que isso significa. “Há muito que podemos fazer uns pelos outros, se tivermos um senso de pertencimento, irmandade e união”, disse ele.

Também antecipando a mensagem do de Ano Novo do Presidente Nelson, Élder Gary E. Stevenson pediu aos santos dos últimos dias que edificassem sua vida no alicerce seguro do evangelho de Jesus Cristo. Quando o fizerem, ele prometeu, “seremos capazes de ver o desapontamento e o desânimo pelas lentes da fé e do otimismo.”

Isso pode ser alcançado ao compartilharmos a mensagem do evangelho de Jesus Cristo, disse Élder Ronald A. Rasband, acrescentando que o foco mais importante “é o poder da palavra e como a comunicamos.”

O Senhor prometeu “apressar Sua obra” para a bênção de todos os filhos de Deus, disse Élder Dieter F. Uchtdorf. “Eu sinto que estamos bem no meio deste processo enquanto vivemos neste momento desafiador.”

Usando suas mãos para esboçar o formato de um coração, élder Dieter F. Uchtdorf demonstra seu amor pelos missionários após devocional no dia 5 de novembro, 2019, no Centro de Treinamento Missionário de Provo.
Usando suas mãos para esboçar o formato de um coração, élder Dieter F. Uchtdorf demonstra seu amor pelos missionários após devocional no dia 5 de novembro, 2019, no Centro de Treinamento Missionário de Provo. Crédito: Cheryl Scott

É uma época que “permitirá que a Igreja cresça no futuro e toque mais vidas e faça mais do trabalho de salvação do que nunca”, disse Élder Quentin L. Cook. “Vamos olhar para trás e considerá-lo um momento fundamental de preparação e não apenas algo que tivemos que suportar.”

Para Élder Dale G. Renlund, as lições da pandemia lembram a todos nós que Deus vive e responde às orações. “Espero que todos nós tenhamos aprendido que a Igreja centrada no lar pode ser espiritualmente rica”, disse ele. “Espero que todos nós tenhamos aprendido a ser autossuficientes e a assumir a responsabilidade por nossa própria fé e progresso espiritual. E espero que tenhamos aprendido que as mensagens do Espírito Santo são silenciosas, delicadas e simples — e que isso contrasta amplamente com as mensagens mundanas que são barulhentas, confusas e impetuosas.”

Élder Ulisses Soares disse que uma lição importante da pandemia é que a alegria tem pouco a ver com as circunstâncias que enfrentamos e tudo a ver com nosso enfoque em Jesus Cristo. “Sabemos que a redenção vem por meio do Santo Messias, que é a fonte de toda alegria”, disse ele. “Tendo uma compreensão clara disso em nossos corações, podemos nos alegrar mesmo tendo um dia ruim, uma semana ruim ou até mesmo um ano ruim.”

É o mesmo otimismo demonstrado pelo Presidente M. Russell Ballard, que disse que todos temos paz porque o Senhor guia Seus filhos e Sua Igreja.

“Enxergamos uma luz no fim do túnel? Sem dúvida!”