Qual é a responsabilidade nº 1 do bispo e como podem ajudar os membros? Isto é o que dizem os líderes da Igreja

Presidente Russell M. Nelson disse na conferência geral de outubro que a “primeira e mais importante responsabilidade” do bispo é de cuidar dos jovens de sua ala.

Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos anunciou mudanças organizacionais para tornar o foco mais significativo na juventude – o que inclui desfazer as presidências dos Rapazes de ala – ele disse, “Estamos confiantes de que mais rapazes e moças aceitarão o desafio e permanecerão no caminho do convênio devido a esse foco mais centralizado em nossa juventude.”

Contudo, para um bispo com um prato cheio de responsabilidades, “esse foco mais centralizado” na juventude pode ser mais fácil falar do que fazer.

Muitos bispos sentiram-se sobrecarregados de primeira com essas mudanças organizacionais. Alguns bispos se perguntaram como eles conseguiriam cuidar de todas suas responsabilidades na ala – responsabilidades que pareceram aumentar com o pensamento de desobrigar presidências dos Rapazes da ala.

“A preocupação que muitos bispos tem é de que sem uma presidência dos Rapazes, eles serão sobrecarregados com responsabilidades extras. Essa não é a verdade”, disse irmão Stephen W. Owen, presidente geral dos Rapazes.

“Um bispo sempre foi o presidente do Sacerdócio Aarônico. Ele ainda é. E ele ainda terá o mesmo número de líderes adultos envolvidos. O propósito é de aproximar os jovens com o bispo.”

Por mais que muito seja esperado dos bispos, eles não estão sozinhos ao servirem na ala. Quando as presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro tomam a iniciativa e o bispo continua a delegar, ele poderá focar no fortalecimento dos jovens – os líderes em ascensão da próxima geração.

O que presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro podem fazer: Envolvam-se no trabalho de salvação

Quando a irmã Jean B. Bingham, presidente geral da Sociedade de Socorro, visitou Serra Leoa em junho, ela conheceu uma mulher chamada Mariatu Songo, que estava servindo como presidente da Sociedade de Socorro da ala. Irmã Bingham percebeu ao caminhar com a irmã Songo de casa em casa na vila, todo mundo a conhecia. Irmã Songo parecia saber todas as preocupações daquelas famílias.

“Ela conhecia tão bem aquelas pessoas e ela estava trabalhando para ajudarem-nas em seus desafios. Ela estava ministrando a todos. Ela estava cuidando dos necessitados. Ela estava alcançando os idosos”, irmã Bingham disse. “Eu não imagino que nenhuma daquelas pessoas estava tomando muito tempo do bispo por que ela estava tomando aquela responsabilidade para si mesma.”

Irmã Jean B. Bingham, ao meio à direita, senta-se perto de Mariatu Songo, uma presidente da Sociedade de Socorro de ala, ao meio à esquerda, em Serra Leoa em junho de 2019.
Irmã Jean B. Bingham, ao meio à direita, senta-se perto de Mariatu Songo, uma presidente da Sociedade de Socorro de ala, ao meio à esquerda, em Serra Leoa em junho de 2019. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Essa irmã é um exemplo de uma presidente da Sociedade de Socorro que está ativamente envolvida em ajudar a diminuir os fardos do bispo e abençoar a ala, irmã Bingham disse.

Num aviso prévio para líderes da estaca e da ala no dia 6 de outubro, 2018, a responsabilidade do trabalho missionário de membros e templo e história da família na ala foram delegados às presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro. Presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro também devem dirigir os esforços de ministração.

Élder Craig C. Christensen, Setenta Autoridade Geral e presidente da Área Utah, disse, “Como dirigido pela Primeira Presidência em outubro, presidências de quórum e da Sociedade de Socorro precisam tomar a responsabilidade primordial do trabalho de salvação da ala, enquanto trabalham sob as chaves do bispo.”

“Isso precisa ser feito para que bispos possam renunciar a maior parte da responsabilidade diária que sentem de ministrar a famílias e de levar o trabalho adiante e possam focar a maior parte de seus esforços nos jovens”, ele disse.

A juventude é a responsabilidade primordial do bispo. Enquanto presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro podem ajudar com: ministração, templo, cuidando dos necessitados, história da família e obra missionária, existem algumas responsabilidades que o bispo não pode delegar, como a de ser um juiz comum, ofertas de jejum e finanças.
A juventude é a responsabilidade primordial do bispo. Enquanto presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro podem ajudar com: ministração, templo, cuidando dos necessitados, história da família e obra missionária, existem algumas responsabilidades que o bispo não pode delegar, como a de ser um juiz comum, ofertas de jejum e finanças. Credit: Church News graphic

A coordenação entre o quórum de élderes e a Sociedade de Socorro para ministração, obra missionária e templo e história da família é chave, irmã Bingham disse.

“Mas não espere para começar”, ela acrescentou. Uma presidência de Sociedade de Socorro pode começar com essas perguntas: “Como podemos alcançar e ministrar melhor nossas irmãs? O que podemos fazer para ajudar umas as outras a sermos melhores missionárias? O que posso fazer para ajudar as irmãs a frequentarem mais o templo? Como posso ajudá-las a se tornarem mais confortáveis ao fazerem a história da família?”

Uma vez que as ideias específicas sejam reunidas, coordenem com o quórum de élderes para que as ideias possam ser mais efetivas à nível de ala.

Conselho de ala é um outro local para coordenar essas ideias e manter todas as outras organizações informadas. Irmã Bingham disse que conhece conselhos de ala que focam na ministração duas semanas no mês, obra missionária uma semana e templo e história da família outra. “Vocês não terão reuniões extras dessa forma”, ela disse.

Outra forma que presidências de quórum de élderes e de Sociedade de Socorro podem ajudar a aliviar os fardos do bispo é ao ajudar mais com o bem-estar. De acordo com o Manual Geral da Igreja 2, “bem-estar é central para o trabalho do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro.” Enquanto o bispo supervisiona a assistência financeira e o uso de ofertas e jejum da ala, as presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro podem trabalhar com famílias para ensinar princípios de autossuficiência e abordar preocupações de bem-estar.

Presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro também podem tomar mais a responsabilidade de se aconselhar com os adultos na ala. Emprego, fazer orçamentos ou desafios com relacionamentos familiares são alguns exemplos.

Um bispo aperta a mão de uma moça. Como presidente Russell M. Nelson enfatizou na conferência geral de outubro, a responsabilidade primordial de um bispo é de cuidar dos jovens.
Um bispo aperta a mão de uma moça. Como presidente Russell M. Nelson enfatizou na conferência geral de outubro, a responsabilidade primordial de um bispo é de cuidar dos jovens. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

“Ao invés de começar com o bispo, membros precisam aprender a começar com as presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro”, irmã Bingham disse.

Presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro deveriam tomar a iniciativa para aproximar-se, identificar os problemas e tomar a frente para ajudar, “ao invés de permitir que as pessoas sintam que precisam ir falar com o bispo a cada desafio”, élder Christensen disse.

E o bispo tem que aprender a indicar aqueles que vem até ele às presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro – mesmo com alguns dos problemas que podem ser sensíveis, ele acrescentou.

“Existem alguns problemas de dignidade que o bispo precisa se envolver. Mas mesmo com a permissão da pessoa, ele pode envolver outros. Para mim, essa é uma grande mudança cultural do que havíamos estabelecido por muitos, muitos anos”, élder Christensen disse.

Para bispos que podem ter dificuldade de delegar, irmã Bingham disse: “Algumas vezes, como líderes, frequentemente pensamos que precisamos fazer tudo. Ou que mais ninguém conseguirá fazer tão bem. Mas quando estamos dispostos a desistir um pouco do controle, descobrimos que é uma grande bênção e que ajuda outros a crescerem também.”

Quando o bispo desenvolve líderes na ala ao delegar às presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro, ele está estabelecendo um padrão para líderes jovens adultos de seguirem e aprenderem como delegar para os jovens. Isso ajudará os jovens a se tornarem líderes também, ela disse.

O que presidentes das Moças e consultores do quórum do Sacerdócio Aarônico podem fazer: Criar líderes jovens

Um dos resultados desejados das mudanças organizacionais para rapazes e moças anunciado na conferência geral de outubro é de ajudar jovens a se tornarem convertidos e liderarem, irmão Owen disse.

“O que estamos procurando quando temos 18 anos?” Irmão Owen perguntou. “Estamos procurando por moças e rapazes que sejam convertidos ao evangelho de Jesus Cristo que serão capazes de sair de casa, manter essa conversão no coração e continuar no caminho.”

Mas se o bispo está ocupado demais com os adultos, os jovens não estarão no seu radar.

“Os jovens precisam do bispo em suas vidas. Eu precisava do bispo em minha vida quando estava crescendo”, irmão Owen disse. “Se o bispo passa tempo com os jovens, os jovens vão querer vê-lo quando tiverem alguma dificuldade e precisarem se voltar para o céu.”

“Eu consigo imaginar muitas situações em que conheço um bispo focado nos jovens e consegue-se ver a juventude progredindo e seguindo o caminho do convênio.”

Irmão Owen disse que as mudanças da organização dos Rapazes permitem que o bispo trabalhe diretamente com rapazes e os fortaleça um por um. Antigamente, era difícil para rapazes liderarem quando tinham presidentes ou consultores dos Rapazes que estavam “tomando a frente” de tudo para eles.

Tal como se indica nas escrituras, o bispo tem um dever de presidir sobre o Sacerdócio Aarônico (Doutrina e Convênio 107:15). Para se alinhar a essa revelação, as presidências de ala dos Rapazes foram descontinuadas. Essa mudança permite que o bispo seja diretamente ligado aos rapazes.
Tal como se indica nas escrituras, o bispo tem um dever de presidir sobre o Sacerdócio Aarônico (Doutrina e Convênio 107:15). Para se alinhar a essa revelação, as presidências de ala dos Rapazes foram descontinuadas. Essa mudança permite que o bispo seja diretamente ligado aos rapazes. Credit: Church News graphic

Por mais que a presidência dos Rapazes da ala não exista mais, o número de líderes adultos para os rapazes não diminuiu, irmão Owen explicou.

Cada quórum tem um consultor para apoiar o bispo em seu chamado de presidir sobre o Sacerdócio Aarônico assim como ser o mentor para os rapazes enquanto servem nas presidências de quórum. Para permitir “uma liderança mais profunda” em cada quórum, um especialista de longo termo também pode ser chamado. Outros especialistas podem ser chamados a curto prazo para grandes eventos como acampamentos, conferências de jovens ou caminhadas.

“Cada um desses líderes adultos tem um papel essencial em elevar os rapazes e apoiar o bispo em seu chamado”, irmão Owen disse.

Irmã Bonnie H. Cordon, presidente geral das Moças, disse que a mudança que permite que a presidente das Moças reporte diretamente ao bispo, ao invés de ao conselheiro do bispo, também é uma oportunidade para as moças se aproximarem do bispo.

“Quando o bispo e a presidente das Moças se aconselharem juntos”, irmã Cordon disse, “ela pode ser uma mentora e guiar presidências de classes ao fazerem sua parte para apoiar e dar suporte ao bispo e servir aos membros da ala.”

Presidências de classe e quórum podem ser “contribuintes ativas” ao participarem do “renomeado e revitalizado” conselho de jovens da ala.

 “Ao engajarmos presidências de classe e quórum, nós acrescentamos mais de uma dúzia de líderes jovens capazes que estão preparados e dispostos a ajudar toda a ala”, ela disse. “Ao permitirmos que cumpram seus chamados, eles começarão a ministrar uns aos outros e fortalecerão a ala – o que aliviará o peso do bispo.”

Sob a direção do bispo, jovens a partir de 14 anos também podem receber uma designação de ajudar a criar um senso de união e de que pertencem à ala ao participarem na ministração. “Moças são ótimas companheiras de ministração para irmãs da Sociedade de Socorro”, irmã Cordon disse, assim como rapazes ajudam muito como companheiros dos irmãos do quórum do Sacerdócio de Melquisedeque.

Presidentes das Moças também podem aumentar seu papel ao se aconselharem com as moças que precisam de alguém para ouvi-las, ela acrescentou. Líderes devem sempre convidar os jovens para encontrarem-se com o bispo em questões de dignidade ou abuso. Eles também devem se voltar para seus pais para “fortalecer esses laços eternos.” 

O que os membros podem fazer: Confiar 

Élder Paul B. Pieper, Setenta Autoridade Geral e presidente da Área Sudoeste, disse que para que a Igreja restaurada se torne o que o Senhor quer que se torne, membros precisam acreditar na estrutura que Ele tem dado e onde ele quer colocar Suas chaves.

“A estrutura da ala ajudará a Igreja a seguir em frente e protegerá os Santos ao continuarem a mudar para esse foco de centralizado no lar e apoiado pela Igreja”, élder Pieper disse. “Não é uma nova estrutura – nós só não a usamos muito bem. Mas precisamos aprender. Para mim, é uma grande mudança de mentalidade que temos que passar como membros”, ele disse.

Essa mudança de mentalidade, ele disse, inclui duas coisas, primeiro, confiar nos nossos irmãos e irmãs ministradores; segundo, confiar nas presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro. Contar com eles ao invés do bispo ajudará a diminuir sua carga.

Em abril de 2018, membros da Igreja foram chamados para ministrarem em “uma maneira mais elevada e mais sagrada.” Um dos maiores desafios que membros tem reportado ao élder Pieper é que quando eles visitam àqueles a quem ministram e perguntam, “O que podemos fazer para ajudar?” a resposta normalmente é: “Nada. Estamos bem.”

“Precisamos confiar que nossos irmãos e irmãs ministradores foram chamados e designados por Deus para nos ajudar”, ele disse. “Temos que acreditar que eles são a primeira linha do Senhor para chegar até nós. Precisamos usá-los.”

“É uma grande mudança de mentalidade que temos que passar como membros.”

Membros não deveriam ter medo de chamar seus irmãos ministradores e pedir uma bênção ou se aconselhar com eles quando tiverem algum desafio. Irmãos e irmãs ministradores também precisam aprender como entender melhor as necessidades daqueles a quem ministram.

“Nós temos que ter ouvidos que ouvem e olhos que veem suas necessidades”, élder Pieper disse. “Todos temos necessidades. … Eu acho que isso faz parte da ‘maneira mais elevada e mais sagrada’ – aprender a ter relacionamentos profundos e doces onde podemos conectar e apoiar uns aos outros em novas e melhores maneiras.”

Se os irmãos e irmãs ministradores não tem as ferramentas necessárias para ajudar, eles podem contatar um membro da presidência do quórum de élderes ou da presidência da Sociedade de Socorro.

Lembrem-se, élder Pieper disse, o presidente do quórum de élderes tem as chaves do sacerdócio e quando a presidente da Sociedade de Socorro é designada, ela tem uma “autoridade paralela”.

“Ambos podem ser magnificados da mesma forma assim como o bispo para ajudar a corresponder às necessidades dos membros”, ele disse. “Vocês não precisam ir até o bispo para acessar esse poder do sacerdócio.

“Contudo, o bispo é designado como um juiz em Israel e nós devemos buscá-lo se houver algo em nossa vida que poderia afetar nossa dignidade como membros da Igreja”, ele acrescentou.

O que deveria motivar membros a confiarem mais em seus irmãos e irmãs ministradores e presidências do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro? Élder Pieper perguntou. O futuro de suas crianças e jovens. 

“Eu acho que como adultos, nós precisamos ser muito, muito sensíveis pois podemos ser uma das causas dos jovens da Igreja estarem com dificuldades”, élder Pieper disse. “Porque somos aqueles tomando o tempo da pessoa que possui a chave para eles.”