Abordando a pornografia: Como a indexação e a história da família podem ajudar

Nota do editor: Este artigo é a segunda parte de uma série de artigos sobre as bênçãos de cura da história da família com base no discurso da conferência geral de abril de 2018, do Élder Dale G. Renlund, “Trabalho de Templo e história da família: Selar e curar”. Se você ou um ente querido estiver lutando contra a pornografia, visite o site addressingpornography.ChurchofJesusChrist.org (página em inglês) ou converse com um conselheiro profissional.

Hayden Paul viu pornografia pela primeira vez aos 15 anos. Ele ficou chocado e com medo. Com o passar dos dias e semanas, a imagem contaminou sua mente e “lentamente se transformou no anzol que realmente é”, afirmou ele. 

“Quando tinha 17 anos, [a pornografia] predominava em minha vida. Praticamente todos os dias eu via algo. E ao mesmo tempo, me sentia completamente sozinho. … A vergonha de tudo aquilo meio que se amontoou sobre mim até parecer que eu não podia mais me mover”, declarou Paul, que é de Sandy, Utah, agora com 23 anos. 

Hayden Paul se casou com sua noiva, Savannah Stowell, no dia 24 de janeiro de 2020. A indexação ajudou Paul a parar de usar pornografia.
Hayden Paul se casou com sua noiva, Savannah Stowell, no dia 24 de janeiro de 2020. A indexação ajudou Paul a parar de usar pornografia. Credit: Cortesia Hayden Paul

A luta de Paul contra a pornografia melhorou antes dele sair para cumprir uma missão de tempo integral para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Budapeste, Hungria. Ele ficou livre do vício por dois anos. 

Mas cerca de três meses depois de voltar para casa, a pornografia voltou à vida dele. Desta vez, ele agiu imediatamente e falou com o bispo. Continuou a trabalhar com os líderes do sacerdócio e sentiu melhora, mas “nunca senti realmente uma força extra para superá-la completamente”, comentou. 

E assim foi, até que mudou para uma outra área e se encontrou com um presidente de estaca que o incentivou a tentar algo novo: a indexação.

“Comecei a indexar todos os dias, pelo menos um nome por dia e, às vezes fazia três ou quatro. Às vezes fazia 10 nomes.” 

“Realmente, mudou minha vida”, compartilhou ele. “Comecei a usar a mesma ferramenta que estava destruindo minha alma para, não só reconstruí-la, mas também reconstruir a de outros, dando-lhes a oportunidade de aceitar o evangelho.”

Uma das bênçãos da história da família e do trabalho do templo que curam, é “o aumento da proteção contra as tentações e a influência intensificada do adversário”, disse o Élder Dale G. Renlund, do Quórum dos Doze Apóstolos, durante a conferência geral de abril de 2018.

O Élder Renlund também prometeu: “Vocês encontrarão, não apenas proteção contra a tentação e os males deste mundo, mas também poder pessoal para mudar, para se arrepender, para aprender, para ser santificado, para fazer com que o coração de seus familiares se volte uns para os outros e curem o que precisa ser curado” (RootsTech 2016, Dia de Descoberta Familiar).

Leia sobre como trablhar com a história da famíilia pode ajudar a combater sentimentos de ansiedade e depressão

A indexação — juntamente com as reuniões em grupo do Programa de Recuperação de Dependências, os aconselhamentos profissionais, a oração e o estudo das escrituras e outros recursos — ajudou Paul e outros santos dos últimos dias a permanecerem consistentes em seus esforços para pararem de usar pornografia.

Um compromisso diário

Para Hunter Wood, 22 anos, de Tulsa, Oklahoma, a pornografia “tem sido algo contra o qual tenho lutado desde que me lembro”, afirmou.

Depois de tentar, sem sucesso, vencer o vício, ele se abriu para seus pais, para o bispo e recebeu ajuda profissional. Wood participou de reuniões de grupo de apoio em sua cidade natal, após sua missão de tempo integral em Ogden, Utah. 

Quando se mudou para Utah para estudar na Universidade Brigham Young, Wood se encontrou com um mentor na ala que o incentivou a fazer história da família. 

Hunter Wood, 22 anos, de Tulsa, Oklahoma, disse que a indexação o ajudou a parar de usar pornografia.
Hunter Wood, 22 anos, de Tulsa, Oklahoma, disse que a indexação o ajudou a parar de usar pornografia. Credit: Cortesia Hunter Wood

“Firmamos o compromisso de que eu a faria todos os dias”, compartilhou Wood. “E tinha que lhe enviar um polegar para cima se eu indexasse, e no caso negativo, um polegar para baixo. Então senti alguma responsabilidade.”

Mesmo indexando um nome por dia, Wood disse que sentiu a diferença. Ele continua a indexar diariamente e “as coisas estão muito melhores agora do que eram antes”, declarou. 

Sobrepujar o vício de ver pornografia exigiu sacrifício, compartilhou Wood, como por exemplo, definir filtros e limites para seu uso de tecnologia. Ele também continuou participando de grupos de apoio. 

“Não é possível vencer sem ter fé no Senhor Jesus Cristo porque Ele é o único que pode nos livrar. Mas também não podemos fazê-lo sem obras que demonstrem nossa fé”, disse Wood. 

“É completamente possível se recuperar, mas temos que usar os recursos que o Pai Celestial nos deu — inclusive a história da família.”

‘Redimir os mortos resultou na minha remissão’

Stephen Jezek, nascido e criado em uma família de santos dos últimos dias em Carlsbad, Califórnia, lutou contra o vício da pornografia, drogas e álcool por muitos anos, resultando na perda de sua condição como membro da Igreja. Depois de atingir o fundo do poço, Jezek recorreu ao Senhor para obter força espiritual. 

A oração, o estudo das escrituras e o acompanhamento do programa de 12 passos, ajudaram Jezek a parar de usar drogas e ingerir bebidas alcoólicas. Mas a luta contra a pornografia e outros vícios continuou. Mais uma vez, Jezek implorou ajuda ao Senhor.

Pouco tempo depois, ele falou com um bom amigo que lhe disse que estava indexando. No dia seguinte, o irmão dele mencionou a indexação. Então Jezek decidiu começar a indexar também. Ele afirma que sentiu o Espírito quase que instantaneamente. 

O compromisso com a indexação e a obediência aos mandamentos levou Jezek a ser rebatizado. O rapaz conta sua história em um vídeo que foi lançado pelo FamilySearch no ano de 2014.

Em um vídeo do FamilySearch produzido em 2014, Stephen Jezek explica como a indexação o ajudou a levar o Espírito à sua vida e a abandonar seus vícios.
Em um vídeo do FamilySearch produzido em 2014, Stephen Jezek explica como a indexação o ajudou a levar o Espírito à sua vida e a abandonar seus vícios. Credit: Captura de tela do site ChurchofJesusChrist.org

“Simplesmente não sinto vontade de fazer nada de errado quando estou indexando”, declara Jezek no vídeo. “Mas não é apenas para combater vícios, como a pornografia, a Palavra da Sabedoria ou o que quer que seja. A indexação me trouxe a presença do Espírito a todo momento. … 

“Redimir os mortos resultou na minha remissão.”

O poder da indexação

O presidente Jordan Clements, presidente da estaca de Jovens Adultos Solteiros Murray Utah, se lembra de se sentir inspirado por este vídeo há vários anos. Desde então, ele afirmou ter observado muitos membros usarem o trabalho do templo e da história da família — principalmente a indexação — para ajudá-los a superar as lutas contra a pornografia.

“A pornografia é a principal ferramenta de Satanás para frustrar o plano de Deus para as famílias eternas”, declarou o presidente Clements. O trabalho do templo e da história da família é uma das estratégias de contra-ataque do Senhor.

“À medida que nos envolvemos no ato cristão de redimir outra alma humana por meio do trabalho do templo e da história da família, o Senhor nos abençoa com uma conversão aprofundada n´Ele e um abundante derramamento do Espírito Santo, que se torna um escudo protetor contra o mal”, compartilhou.

Paul e Wood mencionaram mais algumas razões pelas quais a indexação teve um impacto tão grande no processo de recuperação.

Em primeiro lugar, a obediência traz bênçãos. “O Pai Celestial nos deu o mandamento de fazer a história da família”, disse Wood. “Se fizermos algo que o Pai Celestial pede que façamos, Ele vai nos abençoar e fortalecer.”

Em segundo lugar, a história da família é um trabalho de salvação. “Toda vez que fazemos o trabalho de salvação, estamos nos tornando mais como o Salvador”, continuou Wood. “E assim teremos mais poder como o Salvador teve para vencer as tentações. Ele é nosso exemplo perfeito de como sobrepujar as tentações.”

Em terceiro lugar, é um ato de serviço. Ver pornografia significa “ser egoísta e pensar apenas em si mesmo”, mas o trabalho de história da família é completamente fora de tudo isto, disse Paul. “É uma das coisas mais altruístas que podemos fazer.”

“As pessoas que estão do outro lado do véu querem nos ajudar”, afirmou Wood. “Creio que ajudá-las permite que elas também nos ajudem e que nos aproximemos mais delas, assim como que as entendamos e conheçamos melhor. E penso que elas podem nos dar força espiritual.”

Uma perspectiva clínica sobre a história da família e o vício

Pati Miller, conselheira clínica de saúde mental dos Serviços Familiares em Sugarhouse, Utah, disse que a maior parte de seus clientes é formada por indivíduos que lutam contra a pornografia — tanto homens quanto mulheres.

Uma das maneiras pelas quais ela os ajuda é envolvendo a história da família. Por exemplo, vários clientes solicitaram a bênção patriarcal de um antepassado e leram as bênçãos que lhes foram prometidas. Ela e seus clientes contam sobre como tais bênçãos podem ser aplicáveis a eles. 

“Tem sido muitíssimo eficaz”, declarou ela. Muitas vezes, seus clientes não se sentem dignos de orar nem das bênçãos que lhe foram prometidas. “É uma maneira de tornar a bênção patriarcal deles mais significativa” e ajudá-los a “receber o que lhes foi prometido.” 

É completamente possível se recuperar, mas temos que usar os recursos que o Pai Celestial nos deu — inclusive a história da família.

Dan Gray é um santo dos últimos dias e cofundador do LifeStar, um programa que treina terapeutas no mundo todo para amenizar e tratar comportamentos sexuais e vícios compulsivos.

Ao trabalhar com diversos clientes ao longo dos anos, Gray disse que analisar o histórico e a dinâmica familiar os ajudou a entender seus vícios. “É muito esclarecedor e útil para estas pessoas entenderem que podem estar lidando com alguns componentes genéticos de suscetibilidade a traços viciantes.” 

Eles também podem encontrar histórias de seus antepassados que superaram dificuldades e desafios na vida — e isto lhes dá coragem. “Estes meus clientes chegaram à conclusão de que também herdaram essas características para terem determinação, capacidade de autodisciplina, um coração humilde para se abrirem a Cristo e à Expiação, e para os princípios do evangelho”, declarou. 

Com humildade e fé no Salvador, “Ele fará ‘com que as coisas fracas se tornem fortes para’ nós, e tenho visto isto na minha própria família”, disse Gray, citando Éter 12:27.