Lições que a COVID-19 ensinou a um atleta olímpico, uma Autoridade Geral, uma jovem advogada e um empresário

Em um momento global definido amplamente pela divisão, há uma coisa com que todos certamente podem concordar: ninguém quer viver novamente uma crise de saúde como a atual pandemia de COVID-19. 

Vidas foram perdidas. Economias foram restringidas. O “normal” está sendo redefinido — apenas para ser redefinido novamente — em tempo real.

Mas em meio a dores e incertezas, santos dos últimos dias também aprenderam lições que servirão muito depois que o coronavírus passar.

O Church News falou com vários membros — um atleta olímpico, uma Autoridade Geral, uma jovem recém-formada em Direito e um empresário — sobre lições pessoais, ensinadas pela pandemia, que planejam usar nos próximos anos e décadas.

Desacelerando a corrida

Como santos dos últimos dias em todos os lugares, os últimos meses para o maratonista olímpico, Jared Ward, têm sido definidos por transtornos.

Jared Ward, de Mapleton, Utah, à direita, lidera o grupo à frente de Hayato, Sonoda, à esquerda, do Japão, e Elkanah Kibet, ao centro, de Fountain, Colorado, durante o percurso da 123ª Maratona de Boston na segunda-feira, 15 de abril de 2019, em Boston.
Jared Ward, de Mapleton, Utah, à direita, lidera o grupo à frente de Hayato, Sonoda, à esquerda, do Japão, e Elkanah Kibet, ao centro, de Fountain, Colorado, durante o percurso da 123ª Maratona de Boston na segunda-feira, 15 de abril de 2019, em Boston. Credit: AP Photo /Steven Senne

“Eu tinha um cronograma bastante rigoroso de corridas para esta primavera e para o verão, e tudo foi cancelado — desde o campeonato mundial de meia- maratona na Polônia, até várias corridas de 10 Km ao redor do país”, disse.

Ward também mudou os cursos de Estatística que estava ensinando na Universidade Brigham Young para um formato online. “Isto tem sido muito menos gratificante do que estar na frente de uma sala de aula, porque amo interagir com os estudantes.”

Mas a pandemia também inspirou Ward a focar em assuntos da eternidade — aquelas coisas duradouras como sua família e as ordenanças do evangelho. Elas ensinam lições que são imunes a qualquer forma de vírus.

Jared e Erica Ward com seus quatro filhos de 7, 5 e 2 anos, e 5 meses.
Jared e Erica Ward com seus quatro filhos de 7, 5 e 2 anos, e 5 meses. Credit: A.J. Rich

“A COVID-19 me ensinou perspectiva”, disse. “Tenho a tendência de ficar ocupado com muitas coisas que coloco na minha agenda. Meus dias se tornam em listas de tarefas. Amo os trabalhos que tenho e as coisas em que estou envolvido. Mas quando muito disto é removido, tem sido interessante ser lembrado de que meus filhos e minha família, e as coisas que estamos fazendo em casa, são as que mais amo na vida.

“Estas são as coisas que vão durar.”

Ward disse que a adoração do dia do Senhor da sua família em casa também tem aumentado seu apreço pelo sacramento — e as alegrias simples de participar de ordenanças sagradas ao lado das pessoas que ele mais ama — sua esposa, Erica, e seus quatro filhos pequenos.

Partilhar do sacramento em casa, ao invés de dentro de uma capela, é diferente, disse. “Mas a ordenança é a mesma.”

Momentos silenciosos para uma jovem advogada

A recente formatura da Faculdade de Direito da BYU não foi nada do que Brittney Herman havia imaginado quando começou seu último semestre no início de 2020. 

A nativa do Texas esperava celebrar a conclusão bem sucedida de seus estudos legais de três anos, se sentando ao lado de seus colegas de classe, seus professores favoritos e vários entes queridos. Ao invés disso, este acontecimento notável foi um evento virtual — um cenário apresentado nas cerimônias de formatura pelo mundo todo para a chamada “Classe de Coronavírus de 2020”.

Além do diploma em Direito, Herman também detém o título de Miss Sião e planejava competir no concurso Miss Utah deste ano. O evento está suspenso até 2021.

Nativa do Texas, Brittney Herman, que recentemente se formou na Faculdade de Direito da BYU, disse que a pandemia a ensinou a apreciar mais momentos silenciosos para buscar direção divina.
Nativa do Texas, Brittney Herman, que recentemente se formou na Faculdade de Direito da BYU, disse que a pandemia a ensinou a apreciar mais momentos silenciosos para buscar direção divina. Credit: Cortesia de Brittney Herman

Mas em meio a desapontamentos, Herman, de 23 anos, disse que aprendeu lições que serão bem úteis nos próximos anos e décadas.

“Tive a oportunidade de focar e reservar um tempo para ficar em silêncio”, disse. “Em nosso mundo hoje, há oportunidades constantes para se entreter e encontrar informações para ocupar nossos cérebros.”

Mas, para Herman, a abundância de estímulos externos se tornou cada vez menos interessantes, à medida que a pandemia continuava. Ao invés disto, ela está focando nas coisas que encontrou internamente.

“Tenho reservado momentos em silêncio para que o Espírito possa falar comigo e me aproximar de Deus”, disse. “Isto é algo que vai ser uma grande prioridade para mim daqui para frente — encontrar aquele período silencioso, mesmo quando as coisas voltarem ao normal.”

Um dia, a pandemia passará. Mas a vida de Herman continuará a ser agitada e um pouco barulhenta. Nas próximas semanas, ela começará a trabalhar em um curso de especialização em Direito Tributário na Universidade de Georgetown. Concursos adicionais também a aguardam. Mas as lições que aprendeu nos últimos meses permanecerão.

“Priorizarei primeiramente a Deus e continuarei com estes momentos silenciosos. Isto é algo que o meu espírito continuará precisando.”

Milagres encontrados em meio a preocupações e transtornos

Élder Mark A. Bragg, Setenta Autoridade Geral e membro da presidência de Área América do Sul Sul, disse que a atual pandemia o faz pensar que o Senhor se lembra de Seus filhos. Nada consegue parar o progresso de Sua obra.

Semanas antes do indesejável surto da COVID-19 iniciar no Hemisfério Ocidental, o Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, visitou o Uruguai e o Chile.

Élder Bragg disse que o Apóstolo visitante instruiu a presidência de área a disponibilizar imediatamente smartphones para cada missionário servindo na área. Naquele momento, uma pandemia global que alteraria vidas parecia improvável.

“Mas seguimos o conselho do Élder Uchtdorf como uma direção profética”, disse o Élder Bragg. “No momento em que a pandemia realmente impactou a área, quase todos os missionários tinham smartphones para que pudessem se comunicar com seu presidente, suas famílias, os membros e as pessoas que estavam ensinando. 

“Foi um milagre.”

Élder Mark A. Bragg, Setenta Autoridade Geral, tem aprendido lições pessoais sobre sua conexão com Deus durante a atual pandemia.
Élder Mark A. Bragg, Setenta Autoridade Geral, tem aprendido lições pessoais sobre sua conexão com Deus durante a atual pandemia. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Em um nível pessoal, o Élder Braggs chama os últimos meses de “um momento sagrado” para aprender mais sobre o plano de salvação, “o nosso lugar neste plano, o que podemos fazer para retornar à presença do Pai Celestial, assim como para ajudar outros”. 

Os eventos contínuos do dia a dia têm sido horríveis, acrescentou, mas também inspiraram muitos a se voltarem para Deus.

“Isto me ajudou a pensar e a fazer perguntas diferentes, como também a realmente tirar proveito da natureza espiritual deste momento”, disse.

Em suas responsabilidades eclesiásticas, Élder Bragg tem desafiado membros e missionários a examinarem os milagres que ocorreram nos últimos meses em suas próprias vidas. “Fale sobre estes milagres com sua família e reconheça a mão do Senhor em todas as coisas.”

O estudo pessoal do Élder Bragg durante a pandemia o levou a uma citação de Brigham Young — escrita há mais de um século — que permanecerá com ele por muito depois que o vírus for combatido:

“Ao invés de concluir que o Senhor nos levou a dificuldades, e nos compeliu a fazer aquilo que não é agradável para os nossos sentimentos, e a sofrer sacrifício após sacrifício sem propósito, devemos entender que Ele planejou tudo isto para nos preparar para habitar em Sua presença, para possuir Seu Espírito, que é correto e inteligente, pois nada além de pureza e santidade pode habitar onde ele está” (Brigham Young, Journal of Discourses 2:303).

Conexões divinas imunes a qualquer vírus

Nas últimas semanas, Gonzalo Sepúlveda tem se maravilhado com a série de lançamentos do Falcon 9 que simbolizam o alcance e o potencial ilimitado da humanidade. Simultaneamente, os habitantes deste mundo estão tendo dificuldades para se defenderem de um ataque frontal conhecido como COVID-19.

Para o nativo do Chile e empresário, os eventos extraordinários do dia a dia estão lhe oferecendo um novo apreço por se conectar com o Divino. Pandemias, ele aprendeu, duram uma temporada. Mas o relacionamento de alguém com Deus é eterno.

Gonzalo Sepúlveda, que aparece passando tempo com seus netos, tem podido focar mais nos assuntos da eternidade durante a pandemia.
Gonzalo Sepúlveda, que aparece passando tempo com seus netos, tem podido focar mais nos assuntos da eternidade durante a pandemia. Credit: Gonzalo Sepúlveda, que aparece passando tempo com seus netos, tem podido focar mais nos assuntos da eternidade durante a pandemia. Cortesia de Gonzalo Sepúlveda

“Tudo isto pode nos oferecer uma visão positiva. … Precisamos agora abrir nossa alma em oração ao Senhor misericordioso, imergirmos em leituras aprofundadas das escrituras e contar as bênçãos que temos como Igreja, famílias e indivíduos.

“Este é um tempo de aprender, alertar e exercitar a nossa fé. É a respeito de viver experiências espirituais que nunca vivemos antes.”

Como ex-Setenta de Área e especialista de assuntos públicos da Igreja, Sepúlveda tem sempre sido um homem ocupado. Mas a COVID-19 o forçou a diminuir um pouco o ritmo. É um impulso que ele planeja seguir uma vez que o vírus tenha passado.

“Tenho gostado de viver mais devagar e profundamente. Olho para as montanhas como templos, às nuvens como mensageiros de vida e aos pássaros como ornamentos do céu. Tenho tido mais tempo para saborear minha comida e não ter pressa. Tenho tido longas conversas com minha esposa, tenho rido e brincado com os meus netos; me comunico mais com amigos e sirvo os irmãos e irmãs da Igreja de forma única, através da internet.

“Em outras palavras, contemplação e reflexão são grandes oportunidades que o vírus nos dá, independente de toda a incerteza.”