Uma rede de apoio: o que diferencia a BYU-Pathway Worldwide de outros programas de aprendizado virtual

Quando Linda Highfill, da Estaca Alliance Texas, foi chamada para servir como missionária para o programa da BYU-Pathway Worldwide PathwayConnect, ela foi encarregada de encontrar estudantes em sua área que pudessem se beneficiar com o programa, e convidá-los a se matricular. Uma das primeiras pessoas que veio à sua mente foi uma amiga da família, Valeria Cumes.

“Foi uma das experiências mais emocionantes e espirituais que já tive,” disse Highfill, refletindo sobre as impressões que recebeu para entrar em contato com Valeria Cumes. “Simplesmente tive um forte sentimento que deveria convidá-la.”

Para ambas, Valeria Cumes e Highfill, o programa PathwayConnect tem provado ser muito mais do que somente uma ferramenta para educação, produzindo muitas experiências e bênçãos inesperadas.

Como Élder Mark Gottfredson, setenta de área e membro dos Conselhos de Coordenação de Dallas Oeste e Fort Worth, descreveu, a BYU-Pathway Worldwide se tornou uma ferramenta fenomenal de ensino na área do Texas, pois atende às necessidades espirituais e temporais das pessoas.

Linda e Brian Highfill, à esquerda, posam para uma foto com a família Cumes. Valeria Cumes, ao centro, e sua mãe, Itzia, no canto superior direito, e sua irmã Paulina, no canto inferior direito, são muito amigas dos Highfills. Linda Highfill serviu como missionária na BYU-Pathway para Valeria Cumes.
Linda e Brian Highfill, à esquerda, posam para uma foto com a família Cumes. Valeria Cumes, ao centro, e sua mãe, Itzia, no canto superior direito, e sua irmã Paulina, no canto inferior direito, são muito amigas dos Highfills. Linda Highfill serviu como missionária na BYU-Pathway para Valeria Cumes. Credit: Linda Highfill

“Por muito tempo, tive uma visão do trabalho missionário, juntamente com o caminho do convênio, que era limitado a falar com as pessoas diretamente sobre religião”, ele disse. “Mas esse nem sempre é o melhor caminho. Se você puder ajudar alguém com uma necessidade específica e depois mostrar como o evangelho e seus recursos podem contribuir, isso os ajuda a se engajarem nos frutos do evangelho.”

Seja para atender as necessidades educacionais de membros ativos da Igreja, as necessidades espirituais de membros menos ativos da Igreja, ou para servir uma combinação de necessidades para qualquer indivíduo, membro ou não, a BYU-Pathway Worldwide faz jus a seu nome, direcionando pessoas no caminho do sucesso, élder Gottfredson explicou.

Estruturas de apoio

Nas áreas de Dallas e Fort Worth do Texas, a BYU-Pathway tem sido usada, tanto na ministração como no trabalho missionário, para atender as necessidades de centenas de jovens adultos solteiros, assim como de muitos outros indivíduos, procurando aumentar seu bem-estar espiritual, educacional e profissional com grande sucesso, disse élder Gottfredson. Mas o que realmente torna o programa especial e o que o diferencia de outros programas de educação, até mesmo dos programas de Seminários e Institutos, é o apoio comunitário oferecido e promovido.

Uma das grandes razões pelas quais muitas pessoas não chegam aos programas universitários a que aspiram, é devido à falta de apoio necessário, explicou élder Gottfredson. Se utilizado corretamente, não apenas pelo PathwayConnect, mas também pelas estruturas da Igreja como a ministração, indivíduos terão todo o apoio que precisam para terem sucesso.

Uma mãe, e aluna da BYU-Pathway, estuda com seus filhos.
Uma mãe, e aluna da BYU-Pathway, estuda com seus filhos. Credit: Michael Lewis, BYU Pathway

Aqueles que têm estado envolvidos na utilização do programa PathwayConnect como uma ferramenta de ensino têm um forte testemunho do impacto que aquela pequena quantia de ministração pode ter,” disse élder Gottfredson. “É realmente sobre ser capaz de mobilizar as organizações que temos na Igreja, através da Sociedade de Socorro e do quórum de élderes, oferecendo às pessoas algo que atenda a suas necessidades, e provendo apoio suficiente para que atinjam suas metas.”

O programa PathwayConnect oferece uma comunidade de apoio incrível, mas “continuar usando as atuais estruturas da Igreja como a ministração é essencial para se ter sucesso,” disse ele.

Apoio da ministração

Highfill e Valeria Cumes se conhecem há muitos anos. “Elas são como família”, disse Highfill sobre a família Cumes. 

Aos 22 anos de idade, Valeria Cumes — que vive com sua mãe, Itzia Cumes, professora no ensino médio de Espanhol e diretora do departamento, e sua irmã, Paulina Cumes — adora aprender, explicou Highfill. 

“Ela é inteligente e tem realmente boas notas,” disse Highfill. “Ela trabalha duro, é diligente e frequentemente compartilha seu testemunho. Porém a escola nunca lhe foi fácil.”

Ela foi diagnosticada erroneamente com vários distúrbios de aprendizado durante o ensino fundamental e médio, e como resultado, tem tido que procurar formas únicas para lidar com as dificuldades de comunicação oral e auditiva.

Por sorte, ela não teve que fazer tudo sozinha. Itzia Cumes é uma professora bem qualificada, com doutorado de uma universidade de Porto Rico, e encontrou meios para ajudar Valeria Cumes em alguns desafios de aprendizado. Highfill também tem ajudado, utilizando sua experiência em fonoaudiologia e um doutorado em Audiologia. Ela tem sido capaz de ajudar Valeria Cumes, não só como missionária da BYU-Pathway, mas também como uma amiga da família.

Quando Highfill lhe sugeriu o programa, Valeria Cumes disse que gostaria de pelo menos tentar. Mas isso se tornou uma bênção inesperada para todos, Itzia Cumes disse.

As famílias Cumes e Highfill no selamento dos Highfills no templo. Linda Highfill, ao centro esquerdo, serviu como missionária na BYU-Pathway para Valeria Cumes, à direita.
As famílias Cumes e Highfill no selamento dos Highfills no templo. Linda Highfill, ao centro esquerdo, serviu como missionária na BYU-Pathway para Valeria Cumes, à direita. Credit: Linda Highfill

Durante os anos do ensino fundamental e médio de Valeria, os professores e administradores constantemente se preocupavam com o fato de que ela não seria capaz de fazer certas coisas, explicou Itzia. “Ela leva um bom tempo para processar suas ideias,” continuou. “Mas ela se saiu bem. Mesmo enquanto estava tentando advogar por ela, nunca imaginei que ela seria capaz de fazer o que está fazendo agora.”

Conforme termina seu último semestre do programa Pathway-Connect neste mês, Valeria Cumes estabeleceu como meta obter um diploma em Marketing de Mídias Sociais pela BYU-Idaho online e está se preparando para os próximos passos. E como se provou, a BYU-Pathway tem sido o programa perfeito para Valeria Cumes continuar com suas metas para o ensino universitário.

“Entrei [na BYU-Pathway] para me ajudar,” disse Valeria Cumes. “Sempre fui diligente, mas com [a BYU-Pathway] tenho aprendido a pensar melhor e a acreditar que posso fazer meu trabalho. Está me ajudando a ter mais habilidades para a faculdade e sou capaz de me comunicar melhor, e esta é minha limitação.”

Com o apoio coletivo de seus professores, colegas de classe, assim como família e amigos, ela recebeu todo o suporte que precisava, explicou Itzia Cumes expressando sua gratidão. “E ela está me ensinando”, salientando como o curso de História da Família de sua filha a ajudou a ter um testemunho mais forte da importância de tal obra.

“Eu a vejo trabalhar tão duro e ela é muito paciente”, continuou Itzia Cumes. “Ela ama o trabalho com todo seu coração e sou muito grata porque tem sido uma bênção.”

Para Highfill, o programa PathwayConnect tem fortalecido seu testemunho, conforme ela tem testemunhado a forma como os instrutores se importam com seus alunos. “Não é a típica experiência de faculdade”, disse. E é isso que o torna especial.

A própria Highfill se inscreveu no programa PathwayConnect, pois estava desejosa de ter a mesma experiência que os estudantes estavam recebendo e porque, sendo uma missionária do programa, despertou uma paixão pela história da família que agora quer seguir, disse ela.

Colegas de apoio

Quando Tiffany Gutierrez, da Estaca Colleyville Texas, descobriu que estava grávida, há quase dois anos, ela decidiu que era hora de voltar a estudar e uma amiga a encorajou a pesquisar sobre o programa PathwayConnect como ponto de partida.

Tiffany Gutierrez com seu marido, Juan Carlos Gutierrez, e sua filha, Marisabel Rose Gutierrez.
Tiffany Gutierrez com seu marido, Juan Carlos Gutierrez, e sua filha, Marisabel Rose Gutierrez. Credit: Tiffany Gutierrez

Ela começou o programa logo após o nascimento de seu bebê, na primavera dos Estados Unidos, quando a pandemia estava se definindo, e o programa provou ser uma grande bênção durante estes últimos meses.

“Eu não seria capaz de ir à escola sem este programa,” ela disse. E mesmo não gostando da ideia das reuniões de classes a princípio, disse que elas acabaram se tornando sua parte preferida do programa.

“O sistema de apoio tem sido incrível. Temos estado todos juntos desde o começo da pandemia e eles têm visto ela crescer” disse sobre sua filha de 11 meses.

As aulas de Religião e a comunidade que encontrou dentro do PathwayConnect têm fortalecido seu testemunho, e fez com que se tornasse ansiosa para retornar ao templo quando forem reabertos e estiverem disponíveis novamente, disse. Tendo estado inativa na Igreja durante muitos anos de seu casamento, ela disse que o programa tem a ajudado a construir um alicerce espiritual que lhe estava faltando, e que alguns de seus colegas de classe se ofereceram para ir ao templo com ela quando chegar o momento.

Apoio para o sucesso

Jose De La Portia, da Estaca Weatherford Texas, foi um dos primeiros naquela área a se matricular no programa da BYU-Pathway, quando ainda era um projeto piloto. Mesmo então, sua experiência no programa não tem sido muito diferente, disse ele.

Tendo trabalhado como mecânico com um certificado técnico por muitos anos, a BYU-Pathway lhe proporcionou uma chance para recomeçar sua educação no nível superior de uma forma não intimidante. E com a combinação do conhecimento espiritual e prático que o programa oferece, ele se viu começando a acelerar, juntamente com o caminho à sua carreira, de modo maravilhoso e inesperado.

Tiffany Gutierrez se encontra com sua classe online da BYU-Pathway PathwayConnect, pelo Zoom.
Tiffany Gutierrez se encontra com sua classe online da BYU-Pathway PathwayConnect, pelo Zoom. Credit: Tiffany Gutierrez

O programa PathwayConnect é um ponto de partida para múltiplos cenários de sucesso, ele disse.

“Para mim, é uma grande forma de construir seu testemunho, porque demonstra que o Pai Celestial nos ouve e sabe do que precisamos,” disse De La Portia. “Isto me mostrou que meu Pai Celestial me preparou um caminho, mesmo eu sendo diferente. Foi um desafio, mas Ele preparou cada oportunidade para mim e isso mudou a minha perspectiva e visão.”

Ele também observou que, em cada passo do caminho pelo PathwayConnect, e mesmo posteriormente quando recebeu seu diploma pela BYU-Idaho online, houve várias pessoas o apoiando durante toda a jornada.

“Elas trabalharam comigo e encontraram meios para me ajudar [durante o processo], porque queriam o meu sucesso,” ele disse. “Era como ter uma torcida inteira me ajudando a alcançar meus objetivos.”