Presidente da BYU-Pathway Worldwide explica como o Senhor está usando a educação para acelerar Sua obra

Há mais de 50 anos, quando Presidente Henry B. Eyring, segundo conselheiro na Primeira Presidência, foi nomeado presidente do Ricks College – hoje BYU-Idaho – ele expressou uma visão sobre educação que parecia impossível naquela época.

“Devemos também encontrar meios para que esta faculdade possa servir jovens, cujas necessidades sejam modeladas por uma grande variedade de culturas e situações, e que não sejam capazes de vir a este campus”, disse ele. “Encontraremos formas diretas para estendermos a bênção de se ter uma educação … deste campus até a vida de homens e mulheres em toda a parte.”

Hoje, as palavras de Presidente Eyring estão sendo cumpridas, conforme a universidade online da Igreja, BYU–Pathway Worldwide, leva uma educação a custo reduzido e de qualidade àqueles que nunca teriam uma oportunidade de estarem no campus de uma universidade.

“O Senhor tem preparado o Sistema Educacional da Igreja por um longo tempo para realizar isto”, disse Clark Gilbert, presidente da BYU-Pathway Worldwide. “Mas é neste tempo e época que Ele tem acelerado a obra. E acredito que isto acontece por Ele estar utilizando a educação como parte da grande coligação destes últimos dias. Vemos esses milagres acontecendo por toda a Igreja.”

Em um podcast da Church News lançado no dia 12 de janeiro, presidente Gilbert refletiu sobre o inovativo desenvolvimento da educação da Igreja e o importante papel que ela representa na obra do Senhor.

Uma visão do que ela pode ser

Antes mesmo do presidente Gilbert ter estado no campus da BYU-Idaho, onde eventualmente serviria como presidente de 2015 a 2017, ele trabalhou como professor na Harvard Business School [Faculdade de Administração de Empresas de Harvard], durante a época em que Kim B. Clark serviu como decano. Em 2005, quando Kim B. Clark deixou Boston para ser o presidente da BYU-Idaho, ele perguntou ao presidente Gilbert sobre o que poderiam fazer para transformar a BYU-Idaho em algo único. Por ele já ter trabalhado com jovens da cidade em Boston, presidente Gilbert lhe disse que deveriam focar em como ajudar alunos do dia a dia, não apenas estudantes de elite e com um forte passado acadêmico.

Presidente Clark respondeu: “Sim, esta é uma parte importante da população, mas o problema é muito maior.” E então, continuou: “Estou falando sobre jovens na Rússia, Gana, Brasil e nas ilhas. Jovens que estão fazendo e mantendo seus convênios, e o Senhor procurará derramar bênçãos sobre suas cabeças, e uma forma Dele fazer isso é através da educação.”

Natalia Manqueo, com sua filha, enquanto trabalha em seu curso online através da BYU-Pathway, em abril de 2017.
Natalia Manqueo, com sua filha, enquanto trabalha em seu curso online através da BYU-Pathway, em abril de 2017. Credit: Michael Lewis

Em seguida, ele convidou presidente Gilbert “a vir comigo para Rexburg, não apenas para reconsiderar a educação naquele campus, mas também globalmente, em toda a Igreja.”

“Não tive aquela visão a princípio”, admitiu presidente Gilbert.

E mesmo assim, devido a seus esforços, em 2005 a BYU-Idaho criou os primeiros sites da PathwayConnect em Nampa, Idaho; Mesa, Arizona; e Manhattan, Nova York. Desde então a PathwayConnect tem continuado a ser a pioneira em novas formas de se conectar e educar alunos por todo o mundo, culminando com o lançamento da BYU-Pathway Worldwide em 2017, sendo Clark Gilbert nomeado como seu primeiro presidente.

A BYU-Pathway Worldwide está estruturada para que alunos comecem o primeiro ano a nível introdutório, com cursos preparatórios do programa PathwayConnect, os quais incluem aulas de matemática, inglês e religião, com a ajuda de voluntários. Uma vez que tais aulas são completadas, os alunos podem então se candidatar para os cursos universitários online da BYU-Idaho.

Levando a educação a todos os lugares

Do lado de fora do escritório do presidente Gilbert, em Salt Lake City, há uma réplica da pintura de Ken Baxter intitulada “Embarque dos santos em Liverpool”, que retrata alguns dos primeiros santos dos últimos dias embarcando em um navio para se reunirem no Oeste [dos E.U.A.]. “Eles eram pobres, sem educação formal, e estavam prestes a se tornarem imigrantes”, disse o presidente Gilbert.

Entretanto, naquele grupo estavam as sementes que eventualmente criariam escolas como a Universidade Brigham Young, Ricks College e BYU-Idaho. Olhar para a pintura, presidente Gilbert disse, faz com que ele e outros se lembrem do legado, cultura e herança da educação encontrados na Igreja.

“Mas não viemos dessa forma”, presidente Gilbert continuou. “Havia alguma coisa sobre nossa fé que permitia e nos empurrava para sermos algo mais. Presidente Eyring disse que, quando somos convertidos, há um desejo de aprendermos e nos tornarmos algo mais, e muitas vezes isso vem através da educação. Presidente [Russell M.] Nelson descreve a educação como uma responsabilidade espiritual. Élder [Dieter F.] Uchtdorf disse aos membros da Igreja que a educação não é apenas uma boa ideia: é um mandamento.”

Alunos do Programa Pathway seu reúnem em uma quinta-feira à noite. Atualmente, as reuniões são virtuais.
Alunos do Programa Pathway seu reúnem em uma quinta-feira à noite. Atualmente, as reuniões são virtuais. Credit: Emily Gottfredson

Mas ainda assim, apesar do legado de se valorizar a educação entre os santos dos últimos dias, muitos membros da Igreja hoje não têm como acessá-la, disse presidente Gilbert.

Mais de 55% dos santos dos últimos dias nos Estados Unidos e entre 85% e 90% na Igreja pelo mundo todo, não têm um diploma [universitário]. Abrir a oportunidade de se obter uma educação para aqueles que nunca pensaram que poderiam ter acesso a ela “tem sido um milagre fundamental no planejamento da BYU-Pathway desde o início”, continuou presidente Gilbert.

O Sistema Educacional da Igreja [SEI] inclui um portfólio com a BYU como destaque, a qual foca na pesquisa, com programas de pós-graduação e um time de futebol. Daí temos a BYU-Idaho, que tem seu foco no ensino e nos bacharelados, seguida pela BYU-Pathway, que presta serviços a uma outra parte da população. “É realmente um sistema admirável”, comentou presidente Gilbert.

Lemos em Doutrina e Convênios 97:3: “Eu, o Senhor, estou satisfeito por haver uma escola em Sião.” Mesmo tendo escolas em Provo, Rexburg, Salt Lake City e Laie [no Havaí], “Sião está em todos os lugares onde há uma estaca, e a BYU-Pathway nos permite, pela primeira vez, que tenhamos uma escola em Sião, onde quer que Sião seja”, disse presidente Gilbert.

Tremendo potencial

Quando pela primeira vez consideraram os alunos que estudariam na BYU-Pathway, foram entrevistados membros que estavam frequentando o Instituo, mas não uma faculdade. Compreendeu-se então que estes membros acreditavam nas palavras dos profetas e apóstolos sobre a importância da educação, disse presidente Gilbert. Mas quando lhes foi perguntado por que não estavam estudando, foram dadas três respostas: primeiro, “Não tenho dinheiro para isso”; segundo, “Isso é para pessoas inteligentes”, ou “Não sou capaz”; e terceiro, “Perdi minha oportunidade” ou “Sou muito velho para isso”.

Assim, presidente Gilbert continuou, a BYU-Pathway foi realmente planejada para remover tais barreiras. Primeiramente, é barata. A BYU-Pathway atualmente custa o equivalente a $75 dólares por hora de crédito, que é a metade do preço de uma faculdade comunitária [nos E.U.A.].

Tony Inemoa Nau, aluno da BYU-Pathway, estuda em casa em abril de 2017.
Tony Inemoa Nau, aluno da BYU-Pathway, estuda em casa em abril de 2017. Credit: Michael Lewis

Segundo, ajuda a perder o medo. “O currículo inteiro foi planejado para criar confiança”, presidente Gilbert comentou. E terceiro, é acessível online e pode acomodar o horário de qualquer pessoa. “Então, uma pessoa que trabalha período integral pode se planejar de modo que continue trabalhando, ao mesmo tempo que é capaz de estar presente nas aulas a semana toda. E desta forma se abre uma oportunidade incrível de crescimento.”

Nos dez anos desde que foi lançado, o programa tem se expandido continuamente. Em 2020, o número de alunos matriculados chegou a 50.000 em 150 países. A universidade online viu um crescimento no número de matrículas, mesmo em meio à pandemia.

“Penso que a BYU-Pathway simplesmente continuará crescendo porque a demanda é tão grande por toda a Igreja, além do que os modelos tradicionais de educação não funcionam para a maioria das pessoas. O custo, a forma online e o horário flexível, assim como a competência espiritual que se ganha através do programa, tudo isto junto o tornou realmente transformador e funcionou corretamente durante a epidemia”, adicionou presidente Gilbert.

Tempos e épocas

Quando o presidente Gilbert fala sobre as tremendas mudanças feitas no programa de educação da Igreja nos últimos 50 anos, ele se refere a tempos e épocas.

No início de sua experiência na BYU-Idaho, presidente Gilbert disse que o presidente Clark compartilhou com ele uma escritura em Doutrina e Convênios 88:73: “Eis que apressarei minha obra a seu tempo.” Desde então, presidente Gilbert tem estudado Doutrina e Convênios 88, assim como as Seções 52 e 53 , e o uso da palavra “tempo”. 

“O Senhor fala sobre trabalhar com servos em Sua vinha, e como no tempo e época Ele desceria e trabalharia com eles, lado a lado, e a obra se intensificaria e aceleraria”, disse presidente Gilbert.

Embora a Igreja esteja consciente da necessidade de “estender a bênção da educação” a homens e mulheres em todos os lugares, a tecnologia e outros fatores eram proibitivos. Em outras palavras, não era o “tempo e época” certos.

Carolina Galvis, estudante da BYU-Pathway da Venezuela, se forma na BYU-Idaho com um diploma de Gestão Empresarial.
Carolina Galvis, estudante da BYU-Pathway da Venezuela, se forma na BYU-Idaho com um diploma de Gestão Empresarial. Credit: Tyler Rickenbach

Hoje, entretanto, o Senhor está acelerando Sua obra, disse presidente Gilbert, que explicou como o programa utiliza cursos oferecidos pela BYU-Idaho e Ensign College, assim como cursos de religião do programa do Instituto da Igreja. Eles contam com o apoio de 2.500 missionários voluntários da Igreja pelo mundo todo, e parceria com o Departamento de Bem-Estar e Autossuficiência para ajudar na colocação de empregos. Muitos alunos da Pathway dependem do WiFi disponível nas capelas da Igreja através do mundo.

Conforme ele pensa no crescimento do programa – o qual “é incrível de se observar” – presidente Gilbert disse que o verdadeiro milagre sobre o que está acontecendo é que o Senhor está fazendo Seu próprio trabalho. “Ele está trabalhando lado a lado com o servo na vinha, e quando isto acontece, Ele acelera Sua obra. Não é apenas porque Ele se importa com a educação. Não é porque Ele se importa com a autossuficiência temporal dos santos, e Ele faz em ambos. Mas fundamentalmente acredito que Ele está preparando o mundo para a volta do Salvador. E parte disso é o trabalho que Ele está fazendo para coligar Sua Igreja, criando capacidade e liderança através da educação por todo o mundo.”