Santos dos últimos dias na América Central: resiliência fomentada pela fé, esperança e caridade

A palavra “resiliência” passou a fazer parte de inúmeras reportagens no ano passado, junto às manchetes de pandemias, agitações civis e desastres naturais.

Resiliência descreve adequadamente as muitas pessoas que receberam os golpes pesados do dia a dia — no entanto, se levantaram, cuidaram de seus vizinhos e, de algum modo, seguiram adiante. 

Santos dos últimos dias na América Central certamente têm sido resilientes após a destruição causada por dois furacões devastadores — Eta e Iota — e, é claro, durante a pandemia. Contudo, o presidente da Área América Central acredita que a robusta espiritualidade dos membros com quem ele serve vai muito além de mera determinação.

“Eles têm enfrentado estas provações e desafios com grande perseverança e fé — e continuam sendo muito humildes”, Élder Brian K. Taylor, Setenta Autoridade Geral, disse ao Church News.

Élder Brian K. Taylor
Élder Brian K. Taylor Credit: Intellectual Reserve, Inc.

Desde que chegou à América Central há quase um ano, a COVID-19 se tornou uma crise de saúde e humanitária. Muitos perderam sua vida. Muitos mais assistiram à falência de seus negócios. Empregos foram destruídos. 

Então, em novembro do ano passado, duas tempestades violentas atingiram várias nações da América Central.

“Áreas da América Central foram devastadas pelos furacões. Em alguns lugares, as enchentes atingiram de seis a nove metros de altura”, acrescentou Élder Taylor. 

O líder da Igreja teve que controlar sua emoção ao relembrar das visitas às comunidades afetadas pelas tempestades, onde a destruição foi ao mesmo tempo dramática e grave.  

Poucos dias antes da abertura de terra do futuro Templo de Cobán Guatemala, no dia 14 de novembro de 2020, “havia pessoas navegando com barcos por uma estrada inundada”, disse ele, “cerca de 182 metros de onde tivemos a cerimônia de abertura de terra.”

Entre os vários santos dos últimos dias que continuam sentindo os efeitos dos furacões do ano passado estão os líderes locais do sacerdócio e da Sociedade de Socorro, que foram chamados para cuidar de outros. 

Ao caminhar por uma rua inundada, um residente contempla a destruição causada pelo furacão Eta em Planeta, Honduras, na sexta-feira, dia 6 de novembro de 2020.
Ao caminhar por uma rua inundada, um residente contempla a destruição causada pelo furacão Eta em Planeta, Honduras, na sexta-feira, dia 6 de novembro de 2020. Credit: Delmer Martinez, Associated Press

Élder Taylor provavelmente nunca apagará uma mensagem de texto que recebeu de um presidente de estaca em Honduras, que estava morando em um abrigo temporário com sua família após ter sido forçado a abandonar sua casa devido à enchente. 

O presidente de estaca, sua família e muitos em sua estaca estavam passando por uma provação que define a vida. Contudo, sua confiança em Deus permitiu que fossem resilientes. Mesmo em meio à dor, eles esperaram por dias melhores.

“Continuamos com a mesma fé e esperança”, diz a mensagem, “que seremos mais fortes por causa desta experiência: mais humildes, mais prestativos — e dispostos a nos submetermos ao que o Senhor considerar sábio.”

Enquanto isso, a Igreja continua a fornecer ajuda temporal. 

No final do ano passado, a Igreja e membros locais entregaram uma grande remessa de suprimentos de emergência e mais de 120 toneladas de alimento para ajudar as muitas pessoas afetadas pelos desastres naturais em nações da América Central.

E na segunda-feira, dia 1º de fevereiro, a Igreja entregou uma grande doação aos líderes da cidade de San Pedro Sula, Honduras, que provavelmente beneficiará mais de 20 mil pessoas afetadas pelos furacões Eta e Iota.

A doação incluiu cinco containers com 27 mil quilos de roupas e 77 mil quilos de alimentos avaliados em mais de $ 1,1 milhão de reais, reportou a Sala de Imprensa.

“Em nossos esforços para seguirmos o exemplo do Salvador de ajudarmos os que necessitam, fazemos esta doação abundante de alimentos e roupas para ajudar nossos irmãos e irmãs da área norte desta cidade”, disse Élder José Bernardo Hernández, um setenta de área e residente de San Pedro Sula.

Uma mesa repleta de itens incluídos na doação de alimentos feita pela Igreja aos sobreviventes do furacão em San Pedro Sula, Honduras, no dia 1º de fevereiro de 2021.
Uma mesa repleta de itens incluídos na doação de alimentos feita pela Igreja aos sobreviventes do furacão em San Pedro Sula, Honduras, no dia 1º de fevereiro de 2021. Credit: Intellectual Reserve, Inc.

O prefeito de San Pedro Sula, Armando Calidonio Alvarado, expressou gratidão pela ajuda da Igreja.

“Este grande presente para as pessoas que mais necessitam é muito importante para nossa cidade”, disse Alvarado. “Conhecemos o grande espírito da Igreja de ajudar seu próximo. Obrigado por pensarem em San Pedro Sula e por atenderem ao nosso apelo.”

Enquanto continua a observar os muitos santos dos últimos dias na América Central dedicados a edificarem e servirem uns aos outros durante pandemias e desastres naturais, Élder Taylor recordou de um verso de escritura santo dos últimos dias: “Portanto, que se console vosso coração no que diz respeito a Sião; pois toda carne está em minhas mãos; aquietai-vos e sabei que eu sou Deus.” (Doutrina e Convênios 101:16)

Mesmo com os desafios bem reais do dia a dia, Élder Taylor está certo de que “o Senhor está acelerando Seu trabalho durante este tempo. Ele está trabalhando nos corações. Na América Central, estamos vendo muitos milagres ocorrerem em vidas individualmente, e por toda a Área.