Persistência, a resposta às orações da ginasta santo dos últimos dias, MyKayla Skinner, rumo às Olimpíadas

Há alguns anos, MyKayla Skinner, que é membro da Igreja, conversou com o Church News sobre sua decisão de abrir mão de seu lugar na equipe de ginástica da Universidade de Utah para se concentrar em reivindicar um lugar na Seleção dos Estados Unidos e competir no torneio olímpico em Tóquio que se aproxima rapidamente.

Devido ao seu desempenho na qualificação por equipe há duas semanas nas eliminatórias de ginástica olímpica dos Estados Unidos, a jovem de 24 anos claramente fez a escolha certa.

Skinner foi nomeada para a equipe dos E.U.A., e competirá individualmente no Japão.

A nativa do Arizona disse ao Church News que fez a difícil escolha de deixar a ginástica da universidade depois de ouvir a opinião de familiares e amigos próximos — e de muita oração.

MyKayla Skinner compete nas barras assimétricas durante as seletivas de ginástica olímpica dos E.U.A. na sexta-feira, 25 de junho de 2021, em St. Louis.
MyKayla Skinner compete nas barras assimétricas durante as seletivas de ginástica olímpica dos E.U.A. na sexta-feira, 25 de junho de 2021, em St. Louis. Credit: Jeff Roberson, Associated Press

“Recebi a resposta de que deveria tentar (entrar para a equipe olímpica) e não me arrependo”, disse ela. Competir nos Jogos, acrescentou ela, é “uma oportunidade única na vida.”

Força, ela acrescentou, é sempre encontrada ao buscar a orientação do Senhor.

“Ter Deus por perto realmente me ajudou a continuar e a obter respostas”, disse ela. “Os desafios da vida podem se tornar muito difíceis às vezes. Mas eu sinto que você não pode desistir até o final. Você tem que continuar lutando por esses objetivos e sonhos.”

Church News procura por atletas santos dos últimos dias olímpicos e paraolímpicos de 2021

Pouco depois de entrar para a equipe olímpica de 2021, Skinner disse a Hoda Kolb da NBC que estava emocionada por ir a Tóquio depois de tantos anos competindo. Ela é veterana da seleção nacional sênior americana e foi suplente na equipe olímpica de 2016 que competiu no Rio de Janeiro, Brasil.

“Acho que não vou nem dormir”, disse ela. “Mesmo depois das últimas Olimpíadas e estando tão perto delas, estou muito feliz por nunca ter desistido do meu sonho e por ter continuado.”

Desde que deixou Utah, o caminho para as Olimpíadas tem sido um exercício de persistência para Skinner. Ela lutou contra lesões e travou uma difícil batalha contra a COVID-19 e pneumonia.

Mas ela também fez memórias eternas que vão além de seu extenuante esporte. Em novembro de 2019, ela se casou com Jonas Harmer no Templo de Gilbert Arizona.

Após os Jogos, os fãs da Universidade de Utah esperam que Skinner esteja de volta representando os Utes. A ginasta disse que planeja competir novamente a nível universitário, se sua saúde permitir.