Semana de Educação da BYU: Fortalecendo nosso alicerce por meio da alimentação, exercício e sono

A alma, como descrita em Doutrina e Convênios 88:15, é a combinação do espírito e do corpo de uma pessoa. Com esse entendimento, Dr. Matthew B. Morgan, professor associado de Radiologia e Ciências da Imagem na Faculdade de Medicina da Universidade de Utah, disse a um auditório repleto de participantes da Semana de Educação da BYU: “Estou salvando almas hoje.”

O evento anual, com duração de uma semana, começou na segunda-feira, dia 16 de agosto, com alunos frequentando aulas no campus da BYU pela primeira vez desde 2019. Devido à pandemia de COVID-19, a Semana de Educação foi realizada virtualmente em 2020. O programa visa fortalecer os participantes espiritualmente e incentivar o compromisso com a aprendizagem e o serviço ao longo da vida. As aulas incluem temas sobre religião, educação, desenvolvimento pessoal, família e lar. 

Salientando a ampla oferta de aulas focadas em nutrir o espírito, Morgan se concentrou na nutrição do corpo. “Acho que a Semana de Educação da BYU realiza um trabalho fabuloso com a parte espiritual. De certa forma, estou aqui para equilibrar a equação.”

Morgan deu quatro aulas na segunda-feira, cobrindo a importância de se comer bem, exercitar e dormir o suficiente.

“A saúde é o nosso alicerce”, disse ele. “Tudo depende dela.”

Ele citou Presidente Russell M. Nelson, que afirmou em um artigo da revista New Era de agosto de 2019 [em inglês]: “Seu corpo físico é uma magnífica criação de Deus. Ele é o Seu templo, assim como o seu [próprio], e deve ser tratado com reverência.”

A maioria das pessoas sabe que deve comer melhor, se exercitar ou dormir mais, mas não o faz. Por quê? “Acho que é porque não estamos nos convertendo”, disse Morgan. Para ajudar seus alunos a experienciarem uma mudança de coração, ele compartilhou algumas “doutrinas” sobre cada assunto, e destacou alguns dos problemas que impedem as pessoas de viverem de forma saudável.

Na segunda-feira, dia 16 de agosto de 2021, pilhas de catálogos das aulas sendo oferecidas durante a Semana de Educação da BYU estão prontas para o início do evento anual, realizado no campus de Provo, Utah.
Na segunda-feira, dia 16 de agosto de 2021, pilhas de catálogos das aulas sendo oferecidas durante a Semana de Educação da BYU estão prontas para o início do evento anual, realizado no campus de Provo, Utah. Credit: Rebeca Fuentes, BYU Photo

Dieta

A luz, seja espiritual ou literal, dá vida a todas as coisas(Doutrina e Convênios 88:12-13). As plantas usam a energia do sol para crescerem. Os animais consomem essas plantas para crescerem. E os humanos obtêm sua energia consumindo plantas e animais.

A Palavra da Sabedoria afirma que Deus ordenou “todas as ervas salutares”, “toda fruta em sua estação”, “carne … de animais e das aves do ar” e “todos os grãos”, para uso do homem (Doutrina e Convênios 89:10-20).

Os alimentos são compostos por três unidades básicas: carboidratos, proteínas e gorduras. “Nenhuma delas é ruim”, disse Morgan. 

Então, qual é o problema com a alimentação de hoje? “Alimentos deliciosos podem ser encontrados em toda parte.” 

Os alimentos costumavam ser mais escassos e difíceis de se obter. Hoje, os alimentos são abundantes, altamente processados e baratos. Grande parte deste alimento processado foi projetado para ser “hiperpalatável” ou “irresistível”, usando uma fórmula com calorias densas, intensamente temperadas, imediatamente deliciosas e fáceis de comer, que se dissolvem facilmente na boca.

Morgan citou um estudo que mostrou “que os alimentos ultraprocessados fazem com que as pessoas consumam muitas calorias”. Esse mesmo estudo mostrou que as pessoas que consumiram alimentos processados também engordaram. Por outro lado, as pessoas que consumiram alimentos integrais ou não processados perderam peso e não ingeriram tantas calorias.

Foi demonstrado que o consumo de alimentos processados aumenta o risco de doença cardíaca, diabetes, câncer e outras doenças. De fato, “a doença hepática gordurosa não alcoólica agora ultrapassa o alcoolismo como a causa mais comum de transplantes de fígado”, disse Morgan.

Participantes da Semana de Educação da BYU caminham durante um intervalo entre aulas no campus da BYU em Provo, Utah, na segunda-feira, dia 16 de agosto de 2021.
Participantes da Semana de Educação da BYU caminham durante um intervalo entre aulas no campus da BYU em Provo, Utah, na segunda-feira, dia 16 de agosto de 2021. Credit: Rebeca Fuentes, BYU Photo

Exercício

Os corpos são feitos para se moverem. “É um feito incrível de engenharia”, disse Morgan. “Nosso corpo foi projetado para fazer todas as coisas que precisamos que ele faça: 206 ossos, 350 articulações — articulações esféricas e de encaixe, articulações em dobradiça e pivô, e articulações deslizantes — 600 músculos diferentes. …  Também temos um motor incrível dentro de nós: 78 órgãos e 11 sistemas de órgãos. Tudo isso é coordenado com sensores e sistemas primorosos como um sistema químico.”

O que é o exercício? “O exercício é um movimento repetitivo que trabalha seu corpo em uma intensidade maior do que o seu nível normal.” O exercício combate doenças, ajuda a controlar o peso, melhora a disposição, aumenta a energia, promove um sono melhor e pode ser divertido ou realizado com a companhia de outras pessoas.

No entanto, o mundo moderno de hoje tem muitas conveniências — de carros à automação, à escadas rolantes — que os seres humanos não tiveram por muitos anos. “Nós nos formamos sentados em nossas cadeiras, e olhamos para uma tela de computador durante o dia inteiro, todos os dias de nossa vida profissional — dos 25 aos 65 anos”, disse Morgan.

“O conforto está nos matando.”

Quando se trata do corpo, “este é um caso de usá-lo ou perdê-lo”, disse ele. 

Como ensinado em 2 Néfi 2:11 — “Porque é necessário que haja uma oposição em todas as coisas” —  os corpos são projetados para se tornarem mais fortes com a oposição. Os ossos precisam de pressão para se manterem fortes, e os músculos atrofiarão se não forem usados.

Sono

O sono pode ser visto como parte da trindade da saúde com a alimentação e o exercício. Em vez de ser uma das três colunas que suportam a saúde, a alimentação e o exercício apoiam a saúde enquanto se mantêm no alicerce do sono. Passar um dia comendo besteiras, ou sem se exercitar, provavelmente não afetará a saúde de maneira significativa, mas o sono é diferente. “Se nos forçarmos a ficarmos acordados a noite toda, garanto que notaremos os efeitos da falta de sono em tudo que fizermos no dia seguinte”, disse Morgan.

Embora os cientistas não tenham certeza absoluta do que acontece no cérebro durante o sono REM [último estágio do ciclo do sono, com rápido movimento dos olhos] e não-REM, Morgan explicou que é provável que o cérebro esteja trabalhando em funções cognitivas e biológicas. “A cognitiva é a função na qual literalmente processamos memórias e experiências, da memória de curto e longo prazo”, disse ele. “A outra função é biológica: uma descoberta recente de algo que é chamado de sistema glicêtico. … É uma limpeza de metabólitos e resíduos.”

Perder horas de sono significa que o cérebro não pode terminar de trabalhar nestes dois processos.

“Não dormir o suficiente é insensato”, disse Morgan.

A falta de sono pode ser incrivelmente perigosa. “Pessoas morrem o tempo todo — mais do que com o uso de drogas e álcool — porque alguém adormeceu”, disse Morgan, mostrando algumas manchetes de notícias nas quais uma pessoa dormiu ao volante enquanto dirigia, e outra morreu no acidente de carro resultante. A Igreja afirmou que a Palavra da Sabedoria não proíbe o uso da cafeína — uma substância química que interrompe a sonolência. “Não morram por acharem que a Coca Diet é contra a Palavra da Sabedoria.”

Há uma epidemia de perda de sono no mundo atual, na qual dois terços dos adultos não dormem o suficiente todas as noites. 

O sono curto, ou dormir seis horas ou menos por noite, em vez de sete a nove horas, ativa o sistema nervoso simpático, que aumenta cronicamente a pressão arterial e a frequência cardíaca, podendo exacerbar a calcificação da artéria coronária, disse Morgan. “Então temos 10 vezes mais risco de morte prematura, quatro a cinco vezes mais risco de parada cardíaca, e duas vezes mais risco de ataque cardíaco ou derrame. É como se estivéssemos acelerando nossos motores ao máximo sem parar. Estamos sobrecarregando esses motores.”

Participantes da Semana de Educação da BYU conversam durante um intervalo entre aulas no primeiro dia da conferência de 5 dias realizada no campus de Provo, Utah, de 16 a 20 de agosto de 2021.
Participantes da Semana de Educação da BYU conversam durante um intervalo entre aulas no primeiro dia da conferência de 5 dias realizada no campus de Provo, Utah, de 16 a 20 de agosto de 2021. Credit: Rebeca Fuentes, BYU Photo

Estratégias e soluções

Com o número de barreiras para vivermos uma vida saudável na sociedade atual, “não podemos adotar uma abordagem passiva”, disse Morgan. Cada pessoa tem que assumir ativamente a responsabilidade por sua saúde. Então, após cada turma, ele forneceu um esboço de passos que cada pessoa pode tomar para começar a melhorar sua saúde.

Compreendam a psicologia corretamente

Além de conversarmos com um profissional, caso haja preocupação com a saúde mental, Morgan citou três coisas que devemos ter em mente. Primeiro, não é tarde demais; comecem hoje. Segundo, “Mantenham-se concentrados no que vocês querem. Não se trata de culpa e vergonha. Onde vocês querem chegar com isto?” Terceiro, “O progresso não requer perfeição.”

Busquem um testemunho

Os passos para obtermos um testemunho da nutrição, exercício ou sono são semelhantes aos de recebermos um testemunho do evangelho: Aprendam a doutrina, ajam com fé, se arrependam conforme necessário e perseverem até o fim.

Conheçam sua pontuação

Morgan compartilhou seis métricas de saúde que cada pessoa deve saber sobre si mesma: índice de massa corporal, relação cintura-estatura, porcentagem de gordura corporal, colesterol, glicemia e pressão arterial. Ele também encorajou os participantes a conversarem com seus profissionais de saúde e conhecerem seu estado de condicionamento antes de iniciarem uma nova rotina de exercícios.

Estabeleçam metas

Ao estabelecerem metas, considerem estas perguntas.

Quem é você? “Somos todos diferentes. Velhos, jovens, meia-idade.”

Onde você está? “Qual é a sua situação? O seu conselho será diferente de outra pessoa”, disse Morgan.

Onde você quer chegar? “Algumas pessoas estão apenas tentando ficar fora do hospital”, disse ele. Outras querem se manter em forma e saudáveis, ao passo que outras querem estar em ótima forma. Destinos diferentes terão métodos distintos de alcançarmos essas metas.

Façam um plano e ajam

Primeiro, interrompam os danos, disse Morgan, deixando de beber álcool ou fumar, limitando o consumo de bebidas açucaradas, como sucos de frutas e refrigerantes, e alimentos altamente processados. Depois disso, “Usem os melhores combustíveis”, disse ele. Abasteçam-se com alimentos “reais” ou integrais, leiam os rótulos dos alimentos para verificarem e limitarem o açúcar adicionado, reduzam a quantidade de alimentos processados em casa e compartilhem porções ao comerem fora.

Como um relutante praticante de exercícios, Morgan adicionou à sua rotina, treinamento de alta intensidade com intervalos e treinamento de força— exercícios que têm a “dose mínima eficaz para obter o melhor resultado”, otimizados para a saúde metabólica, exigem equipamentos mínimos e têm variedade. Ele sugeriu fazermos treinamento de alta intensidade com intervalos, pelo menos três vezes por semana e treinamento de força duas vezes por semana.

Para melhorarmos o sono, Morgan aconselhou definirmos um horário para dormir e mantê-lo. Pelo menos duas horas antes de nos recolhermos, devemos parar de olhar para telas. A luz azul pode inibir o sono. Adotem um ritual na hora de dormir para relaxarem, como ler um livro, meditar ou escrever em um diário.

“A pessoa saudável tem mil desejos, já a doente tem apenas um”, disse Morgan. “É incrível o que muda quando, de repente, somos confrontados … com nossa mortalidade. Devemos fazer o que pudermos para não negligenciarmos nossa saúde.”

A Semana de Educação será realizada até sexta-feira, dia 20 de agosto.