Seis coisas que os jovens podem obter ao participarem do FSY

Em seu primeiro ano completo nos Estados Unidos e Canadá, as conferências Para o Vigor da Juventude, ou FSY, ainda são desconhecidas para muitos jovens, seus pais e seus líderes. Por vários anos, muitos jovens fora dos E.U.A. e do Canadá tiveram oportunidades de participar dessas conferências.

Em uma recente entrevista no podcast do Church News [em inglês], o presidente geral dos Rapazes, Steven J. Lund, e a irmã Rebecca L. Craven, segunda conselheira na presidência geral das Moças, compartilharam seis coisas que os jovens podem obter durante seu período no FSY.

1. Oportunidades de sentir e reconhecer a influência do Espírito Santo

O presidente Lund disse que o FSY “é um lugar onde os jovens podem sair do mundo por cinco dias e permanecer sob a influência do Espírito.”

Estar em um ambiente repleto da influência do Espírito Santo ajuda os jovens a “assumirem compromissos, tomarem decisões e descobrirem um pouco sobre quem são e qual é o seu lugar no Reino de Deus e, como resultado, vão embora em um nível muito mais elevado, mais capazes de lidarem com as realidades do mundo real”, disse ele.

A irmã Craven disse que esse ambiente ajuda os jovens, pois compreender como o Espírito se comunica com alguém é uma das perguntas feitas com mais frequência por indivíduos desse grupo etário. Ela disse que os jovens de hoje reconhecem a necessidade de identificar a voz do Senhor, inspirando-os a tomarem decisões corretas e encontrarem respostas para suas perguntas. Estar no FSY faz com que os jovens sintam o Espírito constantemente e estejam cercados por outras pessoas que também o sentem.

Ouça o episódio 88 do podcast do Church News com o presidente Lund e a irmã Craven [em inglês]

“Eles estão em um ambiente em que estão cercados pelo Espírito, e assim terão oportunidades de internalizar isso e ver por si mesmos o que significa viver os convênios que fizeram no batismo e usufruir do dom do Espírito Santo”, disse ela.

2. Novas amizades

Os rapazes e as moças da Igreja são criados em circunstâncias únicas. Suas famílias, alas, quóruns, classes, escolas e equipes são todos diferentes uns dos outros. Esta é uma das razões pelas quais é importante que eles fiquem juntos por uma semana como membros da Igreja, disse a irmã Craven.

“Quando estão juntos e estabelecem relacionamentos fortes com outros jovens que fizeram convênios semelhantes aos que eles fizeram, o Espírito pode ser sentido de várias maneiras e por meio de diversas atividades”, disse ela.

Duas jovens posam para uma foto durante uma conferência Para o Vigor da Juventude.
Duas jovens posam para uma foto durante uma conferência Para o Vigor da Juventude. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

3. Diversão

O presidente Lund disse que, recentemente, um rapaz lhe disse que nunca tinha visto a Igreja e a diversão coexistirem. Ele disse que este é um dos propósitos de fazer com que os jovens participem do FSY.

Um dos objetivos “é ter atividades que sejam tão interativas e interessantes, que todos fiquem felizes por estarem lá, ao mesmo tempo que conversam sobre coisas importantes e estabelecem fortes relacionamentos em torno de temas fundamentais que realmente transformam suas vidas”, ele disse.

4. Mentores

Missionários recém-retornados e outros jovens adultos são designados como consultores para pequenos grupos de jovens em cada FSY. Esses consultores, tendo participado recentemente dos programas dos Rapazes e Moças, às vezes podem se relacionar com os jovens e compartilhar testemunhos com eles de maneiras diferentes das dos pais ou de outras pessoas em suas vidas, disse a irmã Craven.

“Essa pequena diferença de idade entre jovens de 16 ou 17 anos, e jovens adultos solteiros em seus 20 e poucos anos, realmente ajuda os jovens a se conectarem com eles. Existe esse fator, que é muito bom.”

O presidente Lund ressaltou o fato de que esses consultores jovens adultos são avaliados em vários níveis antes de serem selecionados para suas funções.

“Esses jovens adultos solteiros que estão orientando esses [outros] jovens são a definição da palavra exemplo. Nós os escolhemos cuidadosamente”, disse ele. “Oramos para chamar esses jovens e, quando caminhamos pelo FSY, podemos ver que eles simplesmente irradiam bondade.”

Moças estudam as escrituras durante uma conferência Para o Vigor da Juventude.
Moças estudam as escrituras durante uma conferência Para o Vigor da Juventude. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

5. Ímpeto espiritual

Para alguns jovens que participam do FSY, a chegada é a parte mais difícil. Para outros, retornar para casa pode ser tão difícil quanto a chegada. O presidente Lund e a irmã Craven compartilharam maneiras pelas quais pais e líderes podem ajudar os jovens quando eles retornam do FSY.

“Primeiramente, espero que os pais perguntem a seus filhos como foi sua experiência, em vez de simplesmente jogá-los de volta às suas tarefas e todas as outras coisas que eles têm de fazer”, disse ela. “Acho que há uma tendência de os jovens voltarem para casa e simplesmente não serem reconhecidos pela experiência transformadora que tiveram.”

A irmã Craven também incentivou os líderes a engajarem os jovens antes de partirem para o FSY, organizando pré-atividades que são criadas para líderes de estaca e ala no ano em que suas unidades podem participar do FSY. Da mesma forma, disse ela, também existem atividades pós-FSY que eles podem ser organizadas para ajudar os jovens a implementarem o que aprenderam em seus quóruns, classes e famílias.

O presidente Lund descreve os jovens que retornam do FSY como “pessoas diferentes”, pois estão mais bem preparados para um novo crescimento espiritual.

“Os pais que enviam seus filhos para essas atividades não conseguem realmente compreender ou valorizar o que acontece lá e, quando esses jovens voltam para casa, eles nem sempre reconhecem que alguém diferente surgiu”, disse ele. “Esses jovens voltarão para casa prontos para continuarem a progredir e seguir em frente juntos.”

6. Conhecimento de sua identidade como filhos de Deus

Brincadeiras, estudo das escrituras, bailes, devocionais e atividades de serviço proporcionam experiências para os jovens, mas a compreensão de sua verdadeira natureza como filhos do Pai Celestial é a coisa mais importante com a qual as moças e rapazes podem voltar para casa, disse o presidente Lund.

“A principal coisa que esperamos que eles tragam do FSY é um conhecimento melhor a respeito de seu lugar no Reino de Deus, que há um Deus no céu que os ama, e este é um lugar onde eles podem vir a saber disso.”

Rapazes e moças cantam em um coro durante uma conferência Para o Vigor da Juventude.
Rapazes e moças cantam em um coro durante uma conferência Para o Vigor da Juventude. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Esse conhecimento é o ponto de partida para promover decisões e ações íntegras para os jovens, explicou a irmã Craven.

“Quando os jovens começam realmente a internalizar quem  são, eles também tratam outras pessoas como filhos e filhas de Pais Celestiais, e isso quebra todo tipo de barreira, pois eles passam a enxergar uns aos outros como irmãos e irmãs e percebem que têm essa grande responsabilidade de ajudar a reunir todos.”

O presidente Lund disse que o FSY pode ser um lugar onde os jovens começam a ver que as palavras que repetem, quando dizem ou leem seus respectivos temas, não são meros poemas ou afirmações. Elas são doutrinariamente verdadeiras.

Temos o tema do quórum do Sacerdócio Aarônico para os rapazes e há um tema das Moças, e no FSY, eles ensinam sobre esses temas, e esses jovens aprendem que eles não são poemas que recitamos quando nos reunimos”, disse ele.

“Esses temas contêm a verdade fundamental: ‘Sou um Filho amado de Deus.’ ‘Sou uma filha amada de Pais Celestiais.’ Isto não é uma ária. Essa é a pura verdade e eles podem aprendê-la neste lugar, à medida que permanecem sob a influência do Espírito durante o tempo que passam no FSY.”