O Presidente Nelson anuncia planos para construir 8 novos templos — incluindo um na República Popular da China

Ao final de uma conferência geral já marcada por ricos momentos históricos, o Presidente Russell M. Nelson deu uma alegre notícia: oito novos templos serão construídos em nações do mundo todo — incluindo a República Popular da China e os Emirados Árabes Unidos.

Os novos templos serão construídos em:

  • Bahía Blanca, Argentina
  • Tallahassee, Flórida
  • Lubumbashi, República Democrática do Congo
  • Pittsburgh, Pensilvânia
  • Cidade de Benin, Nigéria
  • Syracuse, Utah
  • Dubai, Emirados Árabes Unidos
  • Xangai, República Popular da China

“Os planos para o templo de Dubai vêm em resposta ao amável convite, o qual aceitamos com gratidão’, disse o Presidente Nelson. “O contexto do plano para Xangai é muito importante. Por mais de duas décadas, membros dignos da República Popular da China frequentaram o Templo de Hong Kong China.

Mas em julho de 2019, o templo foi fechado para uma renovação necessária planejada há muito tempo. Em Xangai, uma capela de múltiplo uso proverá uma forma para que os membros da China continuem a participar das ordenanças do templo — na República Popular da China — para eles e seus antepassados.

Em todos esses países, esta Igreja ensina seus membros a honrar, obedecer e apoiar a lei. Ensinamos a importância da família, de sermos bons pais e cidadãos exemplares. Por respeitarmos as leis e regulamentos da República Popular da China, a Igreja não envia missionários para fazer proselitismo lá; nem tampouco faremos isso agora.

As congregações de expatriados e chineses continuarão a acontecer separadamente. O estatuto legal da Igreja permanece inalterado. Em uma fase inicial de uso da instalação, a entrada será apenas mediante agendamento. O Templo de Xangai não será um templo para turistas de outros países.”

Duas jovens congolesas se abraçam fora do Templo de Kinshasa República Democrática do Congo no dia em que ele foi dedicado, domingo, 14 de abril de 2019.
Duas jovens congolesas se abraçam fora do Templo de Kinshasa República Democrática do Congo no dia em que ele foi dedicado, domingo, 14 de abril de 2019.

O Presidente Nelson reconheceu que “pode parecer estranho anunciar novos templos quando todos os nossos estão fechados por algum tempo”. 

Contudo, há mais de um século, um dos antecessores do Presidente Nelson, o Presidente Wilford Woodruff, “previu condições como a nossa” na oração dedicatória do Templo de Salt Lake, proferida em 1893:

“Quando Teu povo não tiver a oportunidade de entrar nesta santa casa … quando estiver oprimido e aflito, cercado de dificuldades … e voltar seu rosto em direção a esta Tua santa casa e pedir a Ti libertação e auxílio, para que Teu poder seja concedido em benefício dele, suplicamos a Ti que, de Tua santa habitação, olhe para ele com misericórdia e ouça seus clamores.

Ou quando os filhos de Teu povo… nos próximos anos, forem apartados deste lugar, por qualquer motivo, … e clamarem a Ti das profundezas de sua aflição e tristeza para que o alívio e a libertação sejam concedidos, rogamos-Te humildemente que … escute seus clamores e conceda as bênçãos que são suplicadas por eles”.

O Presidente Nelson lembrou a sua vasta congregação na tarde de domingo de que, mesmo durante os momentos “de agonia em que os templos estão fechados”, os santos dos últimos dias ainda podem recorrer aos poderes dos convênios e da investidura do templo.

Continuem a viver de modo digno para entrarem no templo — ou para se tornarem dignos de entrar no templo.

“Conversem a respeito do templo com sua família e com seus amigos”, disse ele. “Por Jesus Cristo ser o centro de tudo o que fazemos no templo, quando pensarem mais a respeito do templo, vocês estarão pensando mais Nele. Estudem e orem para aprender mais sobre o poder e o conhecimento com os quais foram investidos — ou com os quais ainda serão.”

A família Ake — John, Joy, Joseph, Justina e Ake Ikechukwu Felix — da Ala Omoku, Estaca Port Harcourt Nigéria Choba, assiste à sessão da manhã de domingo da 190ª Conferência Geral Anual no dia 5 de abril de 2020.
A família Ake — John, Joy, Joseph, Justina e Ake Ikechukwu Felix — da Ala Omoku, Estaca Port Harcourt Nigéria Choba, assiste à sessão da manhã de domingo da 190ª Conferência Geral Anual no dia 5 de abril de 2020. Credit: Ake Ikechukwu Felix

O presidente da Igreja declarou que os oito templos recém-anunciados abençoarão a vida de muitas pessoas de ambos os lados do véu da morte.

“Os templos são a parte culminante da Restauração da plenitude do evangelho de Jesus Cristo”, disse ele. “Em Sua bondade e generosidade, Deus está levando as bênçãos do templo para mais perto de Seus filhos em todos os lugares. 

À medida que a Restauração continua, sei que Deus continuará a revelar muitas coisas grandiosas e importantes, relativas ao Seu reino aqui na Terra. Este reino é A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.”

Os novos templos anunciados pelo Presidente Nelson no domingo, certamente são notícias alegres para aqueles do mundo todo que amam os templos e que, temporariamente, não podem adorar em tais edifícios sagrados.

No dia 25 de março, a Primeira Presidência anunciou o fechamento de todos os templos da Igreja durante a atual pandemia de coronavírus.

“Após cuidadosa consideração e em espírito de oração, assim como o desejo de sermos cidadãos globais responsáveis, decidimos suspender todas as atividades dos templos do mundo todo, no final do dia 25 de março de 2020”, escreveram os líderes da Igreja em uma carta com a mesma data. “Este é um ajuste temporário e aguardamos ansiosamente pelo dia quando os templos serão reabertos.”

No momento do anúncio do dia 25 de março, a Igreja já havia fechado 111 templos. Os 57 templos restantes em funcionamento — localizados principalmente na América do Norte — estavam abertos em horário limitado para realizar ordenanças próprias de selamento, iniciatória e investidura.

A Primeira Presidência anunciou no dia 6 de maio de 2019, que a Igreja descontinuaria uma política que exigia que casais que se casassem no civil, esperassem um ano para se casar ou realizar o selamento no templo. A mudança significa que os casais santos dos últimos dias, cujos planos serão agora interrompidos devido ao fechamento dos templos, poderão realizar o casamento civil e, posteriormente o do templo, assim que eles reabrirem.

Em uma carta de sexta-feira, 13 de março, anunciando ajustes temporários no trabalho do templo, a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos escreveram que eles “esperam ansiosamente pelo momento quando os templos poderão funcionar novamente em plena capacidade e estender as bênçãos do trabalho do templo aos membros e a seus antepassados”.