Primeira Presidência anuncia mudanças na cerimônia de investidura do templo, citando ‘um desejo de melhorar a experiência de aprendizado no templo’

A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias anunciou ontem, mudanças para a cerimônia de investidura sagrada nos templos, reconhecendo “a preocupação por todos e um desejo de melhorar a experiência de aprendizado no templo.”

As mudanças vêm conforme a Igreja reinicia as cerimônias de todas as ordenanças próprias em 12 templos, apenas quatro meses após líderes fecharem todos os templos pelo mundo todo, em resposta à pandemia de COVID-19.

“Os ensinamentos, promessas e cerimônias sagradas dos templos são de origem antiga e levam os filhos de Deus a Ele, ao fazerem outros convênios e aprenderem mais sobre Seu plano, incluindo o papel do Salvador, Jesus Cristo”, escreveu o Presidente Russell M. Nelson e seus conselheiros, Presidente Dallin H. Oaks e Presidente Henry B. Eyring, em uma declaração publicada em 20 de julho.

“Por meio de inspiração, os métodos de instrução da experiência no templo têm mudado muitas vezes, mesmo na história recente, para ajudar os membros a melhor compreenderem e viverem o que aprendem no templo”, escreveram. “Parte da experiência no templo inclui fazer convênios sagrados, ou promessas, a Deus. A maioria das pessoas está familiarizada com as ações simbólicas que acompanham a realização de convênios religiosos (como a oração, imersão de um indivíduo no batismo ou segurar as mãos durante uma cerimônia de casamento). Semelhantemente, ações simples e simbólicas acompanham a realização de convênios no templo.

“Com a preocupação por todos e um desejo de melhorar a experiência de aprendizado no templo, mudanças recentes foram autorizadas para a cerimônia de investidura no templo. Devido ao significado sagrado das cerimônias do templo, pedimos a nossos membros e amigos que não se envolvam em especulações ou discussões públicas sobre estas mudanças. Ao invés disso, convidamos os membros da Igreja a continuarem ansiosos pelo dia em que poderão retornar e participar completamente do trabalho sagrado do templo, em espírito de oração e gratidão.”

Desde maio, líderes da Igreja têm anunciado “uma reabertura de templos cuidadosamente coordenada, cautelosa e gradual”. Isto começou em 11 de maio, com a realização das ordenanças de selamento de marido e mulher em templos selecionados para membros que já possuem investidura.

A reabertura gradual dos templos da Igreja inclui quatro fases, conforme descrito em uma carta da Primeira Presidência, publicada em 7 de maio. 

O anúncio de hoje significa que 12 templos irão da Fase 1 para a Fase 2 — que inclui indivíduos recebendo ordenanças de selamento de filhos com pais e investiduras próprias. As ordenanças serão realizadas de segunda-feira a sábado, por meio de agendamento para aqueles que moram no distrito do templo. A Igreja terá um número muito limitado de pessoas trabalhando no templo.

Oficiantes dos seguintes templos começarão a realizar todas as ordenanças próprias na segunda-feira, dia 27 de julho:

  • Templo de Billings Montana
  • Templo de Bismark Dakota do Norte
  • Templo de Columbus Ohio
  • Templo de Copenhagen Dinamarca
  • Templo de Estocolmo Suécia
  • Templo de Frankfurt Alemanha
  • Templo de Freiberg Alemanha
  • Templo de Haia Holanda
  • Templo de Helsinque Finlândia
  • Templo de Seul Coreia
  • Templo de Taipei Taiwan
  • Templo de Winter Quarters Nebraska

Três outros templos foram acrescentados hoje à lista de templos atualmente em funcionamento na Fase 1, com oficiantes realizando selamentos apenas para membros que já possuem investidura:

  • Templo de Columbia River Washington
  • Templo de Guayaquil Equador
  • Templo de Preston Inglaterra

Incluindo os 12 templos na Fase 2 e os 113 templos na Fase 1, 125 dos 168 templos da Igreja no mundo todo estarão abertos ou agendados para abrir com funcionamento de forma limitada, a partir de 27 de julho.

Conforme as restrições e as condições locais permitirem, o Departamento de Templos da Igreja autorizará outras oportunidades para os templos, incluindo a participação em ordenanças vicárias, as quais fazem parte da Fase 3.

A reabertura gradual dos templos da Igreja inclui:

  • Fase 1: Abertura apenas para selamentos próprios, restritos. Os oficiantes do templo realizarão selamentos próprios apenas para membros que já receberam a investidura, sob rigorosas diretrizes e precauções de segurança.
  • Fase 2: Abertura apenas para a realização de todas as ordenanças próprias. Os oficiantes do templo realizarão todas as ordenanças do templo para pessoas vivas, mas manterão fechados os alojamentos, vestiários e refeitórios.
  • Fase 3: Abertura para todas as ordenanças, com restrições. Os oficiantes do templo continuarão realizando ordenanças para pessoas vivas e ordenanças vicárias para os antepassados de forma restrita. A Igreja reabrirá os serviços de alojamentos, vestiários e refeitórios, conforme necessário.
  • Fase 4: Abertura para pleno funcionamento. A Igreja retornará o funcionamento regular dos templos.

“Pedimos sua fé e orações contínuas para que esta pandemia e seus efeitos persistentes possam passar. Estamos ansiosos para o dia em que poderemos retomar o pleno funcionamento de nossos templos, nossas congregações e do serviço missionário”, escreveu a Primeira Presidência na declaração de 7 de maio.