“Nunca se esqueçam do que sentiram”, diz Élder Stevenson aos santos no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO, Brasil – Santos dos últimos dias compartilharam uma mensagem consistente enquanto estavam nos jardins do Templo recém dedicado do Rio de Janeiro Brasil neste fim de semana: o trabalho não terminou.

Depois da última sessão de dedicação no domingo do mais novo templo da Igreja, construído na segunda maior cidade brasileira, Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, repetiu o mesmo sentimento.

“Os templos conectam as famílias eternas e os templos conectam as famílias terrenas”, disse ele.

Sentado perto da pedra angular do templo dedicado em três sessões no domingo, dia 8 de maio, Élder Stevenson olhou para as pessoas reunidas ao redor do templo.

“É maravilhoso, não é? Apenas olhe para as pessoas”, disse ele.

Leia também: Élder Stevenson dedica o Templo do Rio de Janeiro, o oitavo no Brasil

Muitos santos dos últimos dias permaneceram ao redor do templo por horas depois da conclusão da última sessão. Eles choravam, riam e planejavam juntos as visitas ao templo.

E o que Élder Stevenson lhes disse depois da longa espera por um templo em sua cidade? “Nunca se esqueçam do que sentiram hoje.”

“Nós amamos nossos vizinhos. Nós amamos nossas famílias. Nós compartilhamos com eles. Nós os convidamos”, disse ele. “E esperamos que, com um templo tão perto, com a frequência tão conveniente, possamos desenvolver uma rotina regular de adoração no templo.”

Élder Joni L. Koch, Setenta Autoridade Geral e segundo conselheiro na presidência da Área Brasil, disse que espera que as pessoas reconheçam o quão importante o domingo da dedicação foi na história da cidade do Rio de Janeiro.

“Este momento foi mais importante do que as Olimpíadas e a Copa do Mundo”, disse ele. “Foi maior do que qualquer outra coisa nos 500 anos de história da cidade.”

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, cumprimenta alguns jovens na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, cumprimenta alguns jovens na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022. Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

O crescimento sem precedentes continua

O templo de São Paulo foi o 17° da Igreja, a qual possui agora 171 templos operando.

Élder Stevenson observou que isto significa que os templos cresceram 10 vezes mais desde que Élder Ulisses Soares, o Apóstolo mais novo de todos, foi pela primeira vez ao Templo São Paulo quando era um jovem missionário.

“Durante a vida de Élder Soares, o número de membros da Igreja no Brasil cresceu de 22.000 a mais de 1,4 milhão; de uma estaca a mais de 180; de um templo a 16 templos anunciados ou dedicados”, disse ele.

O Brasil “é uma parte importante da vinha do Senhor”, Élder Stevenson continuou. “Estas são pessoas tementes a Deus. Estas são pessoas que amam o Senhor, que amam Jesus Cristo.”

Amar, compartilhar e convidar em ambos os lados do véu

Élder Joni L. Koch, Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Élder Carlos A. Godoy e Élder Benjamín De Hoyos posam na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022.
Élder Joni L. Koch, Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Élder Carlos A. Godoy e Élder Benjamín De Hoyos posam na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022. Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Com três dúzias de missões e uma força missionária novamente em crescimento após as interrupções causadas pela COVID-19, o Brasil está pronto para uma onda de novos membros se filiando à Igreja e se beneficiando dos oito templos do país. O trabalho feito para levar as pessoas vivas a uma compreensão do evangelho de Jesus Cristo, assim como o trabalho para ajudar aqueles que estão do outro lado do véu, são trabalhos semelhantes, disse Élder Stevenson.

Este trabalho está incluído nas responsabilidades divinamente designadas de unir as famílias para a eternidade e convidar todos a receberem o evangelho, o que facilita a progressão no caminho do convênio, disse ele.

Élder Stevenson disse que é importante que os santos dos últimos dias em todo o mundo se lembrem do convite de Presidente Russell M. Nelson para agendar um horário no templo.

“Frequentar o templo ajuda a aliviar nossos fardos e preocupações.” Élder Stevenson também observou. “Costumo dizer que, ao passarmos por suas portas, somos capazes de deixar o mundo lá fora durante o tempo em que estamos lá. Nós nos libertamos do mundo ao entrarmos na casa do Senhor e parece que o tempo quase para.”

A conexão Brasil-Japão

Élder Stevenson e sua família serviram em diversos chamados no Japão por sete anos, além dos dois anos quando ele serviu em Fukuoka como um jovem missionário.

As línguas portuguesa e japonesa faladas no Brasil e Japão talvez não tenham muita conexão, mas os dois países têm, disse Élder Stevenson.

“Lisa e eu passamos a amar muito o Brasil enquanto servimos no Japão”, disse ele.

Como líderes da Missão Japão Nagoya, havia quatro unidades para falantes de português naquela área.

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson admiram a imagem do Cristo Redentor com a cidade do Rio de Janeiro como pano de fundo na sexta-feira, 6 de maio de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson admiram a imagem do Cristo Redentor com a cidade do Rio de Janeiro como pano de fundo na sexta-feira, 6 de maio de 2022. Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Em um determinado momento, havia 25 missionários falantes de português”, disse ele. “Naquela época, conhecemos inúmeros brasileiros e suas famílias.”

Élder Stavenson ainda comentou que os missionários apreciavam o grande sucesso que tinham ao ensinarem brasileiros que trabalhavam e estudavam no Japão.

Um testemunho do Salvador

Élder Stevenson presto seu testemunho uma última vez antes de deixar o terreno do recém dedicado templo.

“Como Apóstolos, temos a responsabilidade de testificar do nome de Jesus Cristo”, disse ele.

“Jesus Cristo é o Filho do Deus Vivo. Ele nasceu para nós. Seu sofrimento e crucificação foram por nós. Sua ressurreição rompeu as cadeias da morte para nós. E juntos englobam o do dom da Expiação de Jesus Cristo.”

Em uma cidade que recebe anualmente cerca de dois milhões de pessoas que passam para ver a estátua do Cristo Redentor, Élder Stevenson disse que o templo serve agora como uma outra testemunha Dele.

“As pessoas conectam esta cidade à icônica estátua do Cristo Redentor, o que nos diz algo sobre seus moradores”, disse ele. “E agora o templo será uma âncora espiritual para esta cidade, outra testemunha, a Casa do Senhor.”

Participantes caminham pelo terreno do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022.
Participantes caminham pelo terreno do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022. Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News

Leia mais sobre o Templo do Rio de Janeiro Brasil:

Élder Stevenson dedica o Templo do Rio de Janeiro, o oitavo no Brasil

Na véspera da dedicação do Templo do Rio de Janeiro, Élder Stevenson responde perguntas dos jovens

Os braços do Salvador estão abertos para novo Templo no Rio de Janeiro

Como ‘uma oculta dor’ proporcionou uma nova perspectiva, enquanto Élder Soares conduz as visitas ao Templo do Rio de Janeiro

A visitação pública do Templo do Rio de Janeiro Brasil começa esta semana

Élder e irmã Soares compartilham suas raízes familiares e espirituais no Brasil durante Dia da Descoberta Familiar

Templo do Rio de Janeiro: Primeira Presidência anuncia datas para casa aberta e dedicação

Adiadas: Casa aberta e dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala aos participantes durante a cerimônia da pedra angular na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala aos participantes durante a cerimônia da pedra angular na dedicação do Templo do Rio de Janeiro Brasil no domingo, 8 de maio de 2022. Crédito: Jeffrey D. Allred, Deseret News